HomeDiagramsDatabaseMapsForum About
     

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Regiões Metropolitanas Mundiais


Reply

 
Thread Tools Display Modes
     
     
  #141  
Old Posted Nov 14, 2013, 2:28 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 25,868
Quote:
Originally Posted by salengasss View Post
Voto é individual e secreto... morô Jota?
E se bobiar ano que vem vai ser FACULTATIVO.
Reply With Quote
     
     
  #142  
Old Posted Nov 14, 2013, 2:26 PM
Jota's Avatar
Jota Jota is offline
Registered User
 
Join Date: Sep 2011
Posts: 3,488
Quote:
Originally Posted by salengasss View Post
Voto é individual e secreto... morô Jota?
Sei....
Reply With Quote
     
     
  #143  
Old Posted Nov 23, 2013, 6:52 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,846
Empresa dinamarquesa escolhe Brasília para sediar sua primeira fábrica no país

Tecnologia permite a construção de edificações arredondadas e onduladas


BRASÍLIA (23/11/13) - Brasília foi escolhida para sediar a primeira fábrica do sistema de lajes BubbleDeck do Brasil. A tecnologia, que é capaz de garantir a criação de até mil m² de lajes por dia, foi desenvolvida na Dinamarca e chega ao país pela representante brasiliense da BubbleDeck Internacional.


O projeto inicial prevê a criação de 60 empregos diretos e 190 indiretos. A expectativa é que as obras da fábrica sejam iniciadas no primeiro semestre de 2014. A região do DF que abrigará a estrutura ainda está em estudo.


Além da produção de lajes, será implantado, no DF, um centro de estudos e pesquisas com foco na formação de mão de obra especializada e expansão das atividades da companhia nos demais estados brasileiros.


A laje do modelo BubbleDeck é construída por esferas plásticas que, em conjunto com uma armação de metal, formam uma estrutura capaz de substituir o concreto em alguns espaços. Com isso, o material utilizado na construção de edifícios, garagens e casas torna-se menos pesado e mais rápido de ser instalado.


O novo produto ainda oferece benefícios como: a liberdade arquitetônica, com o uso de formas arredondadas e onduladas; redução do peso da estrutura, que é 35% inferior em relação às construções tradicionais; a eliminação de vigas e paredes de apoio; e a redução do tempo de construção.


EMPREGOS - Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Hermano Carvalho, a representatividade do setor da Construção Civil para a economia local é um dos responsáveis pela atração desse segmento industrial para Brasília.


"Em 2012, foram construídos cerca de 9 milhões de m² em todo o DF, e com a expansão dessa nova tecnologia esse número pode aumentar ainda mais, o que representa mais emprego e renda para a nossa cidade", declarou Carvalho.


Já o presidente da joint venture da BubbleDeck Internacional no Brasil, Wlicio Chaveiro Nascimento, afirmou que os principais motivos para a escolha de Brasília como sede da unidade foram a localização geográfica e o mercado.


"Temos uma grande carteira de contatos que sinalizaram quem serão nossos clientes. O mercado da Construção Civil do DF está em plena expansão, o que gera pressa na nossa equipe para tirarmos esse projeto do papel com mais brevidade possível", finalizou Wlicio.


O embaixador da Dinamarca no Brasil, Svend Roed Nielsen, espera que o mercado nacional acredite no potencial da BubbleDeck como fornecedora de soluções capazes de diminuir o tempo das obras e otimizar o trabalho dos operários nos canteiros. "Segundo levantamento da fabricante, em todo o mundo já foram construídos 200 milhões de m² usando o método dinamarquês. Chegamos ao Brasil, aqui buscamos nossas oportunidades e a confiança do mercado", afirmou.


A primeira e única obra que usa a tecnologia em Brasília já está de pé. Todas as lajes do novo Centro Administrativo do DF foram construídas com o modelo BubbleDeck. Para isso, o consórcio responsável pela obra montou uma fábrica no próprio canteiro para a produção das estruturas.










http://www.df.gov.br/noticias/item/1...uesa-foto.html
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #144  
Old Posted Nov 23, 2013, 8:59 PM
fabiano's Avatar
fabiano fabiano is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: Brasília
Posts: 2,969
Arriscaria dizer que essa nova fábrica ficaria no Polo JK ou no Setor de Materiais de Construção de Ceilândia.
Reply With Quote
     
     
  #145  
Old Posted Nov 23, 2013, 10:21 PM
salengasss salengasss is offline
Registered User
 
Join Date: May 2011
Posts: 1,531
Que sirva de ânimo e coragem para novas empresas se instalarem aqui!
Reply With Quote
     
     
  #146  
Old Posted Nov 23, 2013, 10:31 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 25,868
Quote:
Originally Posted by fabiano View Post
Arriscaria dizer que essa nova fábrica ficaria no Polo JK ou no Setor de Materiais de Construção de Ceilândia.
Se eu não estiver enganado essa fábrica ficará no Gama. Lá tem várias empresas desse tipo. Me lembro de uma empresa brasiliense que forneceu todos os banheiros pré-fabricados do ex-Blue Tree Brasília, Hilton São Paulo, Grand Hyatt São Paulo entre outros.

Se não for no setor industrial do Gama será ali, naquele novo setor industrial perto do balão do Periquito. Eu fiquei sabendo agora de uma empresa Alemã que fabrica baus frigoríficos para caminhões que também está se instalado no lugar.
Reply With Quote
     
     
  #147  
Old Posted Jan 22, 2014, 11:06 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,846
Empresa italiana busca o DF para se instalar


Grupo é especializado em serviços de contact center e informática



BRASÍLIA (22/1/14) - Representantes da empresa italiana Almaviva procuraram, hoje, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico com o objetivo de estabelecer parceria com o GDF para a instalação de uma filial em Brasília.

O grupo, que oferece serviços de contact center e informática já atua no Brasil, contando com mais de 18 mil colaboradores distribuídos em Belo Horizonte, São Paulo, Juíz de Fora, Aracaju e Guarulhos. "O mercado brasileiro é promissor e, por isso, nós já temos mais pessoas trabalhando aqui do que na Itália. Escolhemos vir para Brasília porque é uma cidade estratégica, que abriga o centro do poder e ainda oferece uma série de atrativos econômicos", disse Giulio Salomone, vice-presidente do Conselho da Almaviva do Brasil.

"O Distrito Federal é um ótimo campo para empresas como esta, e a Secretaria oferece incentivos que podem ajudar a impulsionar o negócio, gerando emprego e renda para a nossa população", afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Hermano Carvalho.

O encontro também contou com a presença do Subsecretário de Investimentos Estratégicos e Negócios Internacionais, Apolinário Rebelo, que orientou os italianos acerca dos procedimentos padrões a serem tomados por empresários que se estabelecem no DF.

Almaviva - A companhia, que tem seu nome consolidado há mais de 40 anos na Itália e em outros países da Europa, oferece suporte a organizações privadas e à administração pública nos processos de relacionamento com clientes (projetos e sistema operacional), contact center; back-office; suporte operativo para programas de fidelidade; realização de pesquisas de mercado e recuperação de crédito/cobrança.

A ideia da empresa para o Brasil é oferecer seus serviços nos principais setores do mercado: Telecomunicações, Transportes, Bancos e Seguradoras, Industrial e Administração Pública.





http://www.df.gov.br/noticias/item/1...-instalar.html
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #148  
Old Posted Feb 9, 2014, 4:44 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 25,868
Industrializar o DF ou não? Eis a questão

Autor(es): ALDO PAVIANI
Correio Braziliense - 03/02/2014

Professor emérito da UnB e geógrafo da Codeplan

Ao longo do século 20, as grandes cidades dos países desenvolvidos captaram investimentos para a implantação de indústrias. As atividades industriais preferiram os anéis externos das metrópoles, que foram circundados por empreendimentos imobiliários, com o que a malha urbana se ampliou. No processo, as grandes metrópoles mundiais diversificaram suas atividades, facilitando o desenvolvimento de centros financeiros e todos os ramos do terciário e do quaternário (serviços de alto nível).


Por isso, há metrópoles com destaque em termos de liderança mundial, como Londres, Tóquio, Nova York, Paris, Roma e outras. Esse modelo entra no circuito da globalização e chega aos países emergentes. Nas nações em desenvolvimento, há metrópoles importantes no aspecto de atividades e pelo gigantismo de suas estruturas urbanas, como é o caso de São Paulo, Buenos Aires, Cidade do México, Santiago, Rio de Janeiro e outras sem tanta projeção internacional.


Portanto, chega-se ao século 21 com um elenco de metrópoles incluídas na globalização, organizando-se para enfrentar a competitividade. Algumas, com certo atraso, ajustam-se para os novos tempos; outras acumulam problemas sem solução de uma administração para a outra. Entre essas, encontramos Brasília, nascida para ser a capital do Terceiro Milênio, planejada, centro de um país com projeção mundial, componente dos Brics.
No processo de urbanização, a capital da República optou por ser “metrópole incompleta” — como referiu o grande geógrafo Milton Santos. Metrópole incompleta não apenas pelos insipientes ramos industriais, mas por estar na área de influência econômica da metrópole nacional, São Paulo.


Poderíamos sugerir que, passados 53 anos, a base econômica do DF deverá mudar, uma vez que a cidade se consolidou de modo a não distribuir igualitariamente a renda e os serviços essenciais (educação, saúde, transportes públicos etc.), e também não ter dispersado no território as oportunidades de trabalho, com o que muitos núcleos urbanos são apenas lugares de moradia, não de morar e trabalhar.


Mais: surgiram subúrbios desequipados fora dos limites do Distrito Federal que não propiciam postos de trabalho. Por essa problemática, o que antes era tido como entorno gerou laços metropolitanos com Brasília. Essa periferia metropolitanizada criou movimentos pendulares diários para a capital, pois a população depende dos serviços e dos lugares de trabalho, sobretudo no Plano Piloto. Em outras palavras, não há uma dicotomia centro-periferia, mas um conjunto solidário assemelhado ao das demais metrópoles brasileiras.


Por fim, ao mesmo tempo em que se deseja atrair investimentos para diversificar a base econômica, um grande esforço deve ser realizado na área educacional, no sentido de preparar jovens e adultos para a nova fase. A população economicamente ativa (PEA) será composta por trabalhadores com patamares educacionais completos e diversificados. A PEA da área metropolitana sairá da escolaridade incipiente para uma que possa lidar com técnicas mais apuradas para atender um novo formato das atividades produtivas, que exigirão mais do que o “fundamental completo” como base educacional. A formação técnica deverá estar presente na formação dos jovens, que deverão igualmente dominar uma língua estrangeira.


Isso posto, pergunta-se: que metrópole desejamos? Logicamente, o elenco de ações futuras a indicar supera o espaço deste pequeno artigo. Em resumo, para reduzir as desigualdades sociais e o desemprego, a proposta segue na direção da descentralização das atividades político-administrativas, sociais e econômicas. A descentralização rumo às cidades-satélites, em primeiro lugar e, subsequentemente, para os anéis externos da metrópole — esse ente urbano ainda por formalizar, mas que, funcionalmente, opera há décadas.


Entre as atividades produtivas propícias à expansão e dispersão encontram-se as ligadas à indústria, ainda incipiente na metrópole. É essa incipiência que a torna passível de atrair investimentos para novas indústrias e ampliação das existentes. A vantagem para essa medida é o mercado de Brasília, que é receptivo e pode ser ampliado. Mas falta responder a outras questões: a) quem terá interesse em investir no DF? b) quais ramos industriais serão vetados, por serem agressivos à natureza? c) há recursos para ampliar as infraestruturas — água, energia, meios de transportes etc.?; e, por fim, d) como capacitar os trabalhadores com a educação formal, necessária ao suprimento das atividades industriais exigentes em mão de obra qualificada?

Fonte
Reply With Quote
     
     
  #149  
Old Posted Mar 15, 2014, 9:14 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,846
Multinacional de Dubai quer abrir filial no DF


Conglomerado tem 4,5 mil empresas especializadas em pesquisas e desenvolvimento


Foto: Mary Leal / Arquivo


BRASÍLIA (14/3/14) - Destaque nacional em relação às boas condições econômicas e estruturais, o Distrito Federal tem atraído cada vez mais a atenção de empresas internacionais que querem expandir seus negócios. É o caso da Tecom Investments, uma multinacional pertencente ao governo de Dubai, que iniciou entendimentos com o GDF para a instalação de uma sede na capital federal.

O conglomerado, que é dedicado a produção de pesquisa e desenvolvimento, tem mais de 4,5 mil empresas abrigadas e, se instalada no DF, proporcionará o desenvolvimento local, a geração de novos postos de trabalho e aquecerá a economia.

"Estamos criando mais uma possibilidade para a atração de investimentos aqui no DF, o que certamente vai gerar mais empregos e renda, além da diversificação dos negócios locais", acrescentou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Hermano Carvalho.

A Tecom Investments gerencia todas as zonas francas de serviços em Dubai, como Dubai Internet City (Dubai Cidade da Internet), Dubai Media City (Dubai Cidade da Mídia), Dubai Health Care City (Dubai Cidade da Assistência Médica) e Knowledge Village (Vila do Conhecimento), entre outros.












http://www.df.gov.br/noticias/item/1...ial-no-df.html
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #150  
Old Posted Mar 21, 2014, 10:26 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,846
Missão do GDF nos EUA busca atrair investimentos


Secretaria de Desenvolvimento Econômico terá reuniões com multinacionais interessadas em investir no DF e visitas técnicas a aeroportos de referência mundial




BRASÍLIA (21/3/14) – Em franco desenvolvimento, o Distrito Federal, que já apresenta o maior índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país e uma renda per capita que passa dos R$ 63 mil por ano, intensifica os trabalhos na atração de investimentos estrangeiros em busca de números cada vez mais significativos, como o aumento de emprego e renda da população.

Em missão oficial internacional aos Estados Unidos, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Hermano Carvalho, e o subsecretário de Investimentos Estratégicos e Negócios Internacionais, Apolinário Rebelo, desembarcaram nessa quinta-feira (20) nos Estados Unidos, onde cumprirão uma extensa agenda que inclui visitas de prospecção de negócios, a convite de empresas como Boeing, Corbanair Aviation, Siemens e Fedex; estudos de boas práticas em aeroportos que são referência no mundo todo, como o de Atlanta (Geórgia), Memphis (Tennessee), Fort Lauderdale e Miami (ambos na Flórida); além de reuniões com prefeitos, como o de Atlanta, que mostrou-se interessado em assinar um Memorando de Entendimento entre as duas cidades.

Ainda na programação estão encontros como o que vai abordar o financiamento de estudos e projetos na Agência dos Estados Unidos para o Comércio e Desenvolvimento (USTDA).

O órgão promove o desenvolvimento econômico e os interesses comerciais americanos nos países em desenvolvimento e de renda média. Além disso, viabiliza várias formas de assistência técnica, análise prévia de investimento, treinamento, visitas de orientação e workshops de negócios para apoiar o desenvolvimento de uma infraestrutura moderna e de um ambiente comercial justo e aberto.











http://www.df.gov.br/noticias/item/1...stimentos.html
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #151  
Old Posted May 14, 2014, 9:07 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,846
Indústria do DF quer setor mais competitivo



Propostas foram apresentadas pela Fibra durante lançamento da pauta da Indústria e da Agenda Legislativa que chega a sua 12ª Edição



BRASÍLIA (14/5/14) - A Federação das Indústrias de Brasília (Fibra) lançou nesta quarta-feira (14) dois documentos com propostas para o desenvolvimento do setor. O primeiro, A Agenda Legislativa da Indústria do DF 2014, chega a sua 12ª edição, após um amplo debate para definir os 30 temas em tramitação na CLDF que têm relação com o cotidiano das empresas locais.

Já o segundo documento, a Pauta da Indústria, reconhece que o DF teve nos últimos 4 anos um crescimento acima da média dos estados que compõem a região Centro-Oeste, mas atribui esse resultado ao setor público. Para os empresários há um forte mercado consumidor a ser explorado. O documento com as propostas foi dividido nos seguintes temas: Tributação, Relações de Trabalho, Meio Ambiente, Infraestrutura, Inovação, Política Industrial e Regulação Econômica.

"Tenho convicção de que esse esforço conjunto entre setor produtivo e os poderes Legislativo e Executivo terá pleno sucesso", enfatizou o vice-governador Tadeu Filippelli, presente no evento.

Entre as reivindicações apresentadas estão: linhas de crédito mais atrativas para indústria local, criação do Fundo Garantidor Distrital, mais fiscalização na entrada de mercadorias nos estados e reforma tributária, criação do código de defesa do contribuinte, entre outros.

"Esse documento é importante porque é o próprio setor produtivo quem sabe quais são os gargalos e as dificuldades. O documento contribui tanto em propostas quanto em legislação", concluiu o governador Agnelo Queiroz, que também acompanhou a cerimônia.









http://www.df.gov.br/noticias/item/1...mpetitivo.html
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #152  
Old Posted May 25, 2014, 7:53 PM
Jota's Avatar
Jota Jota is offline
Registered User
 
Join Date: Sep 2011
Posts: 3,488
Fábrica de viaturas especiais se instalará no Polo JK
22 de maio, 2014.



Diretores da empresa gaúcha Triel-HT, especialista em soluções tecnológicas para implementos rodoviários, logística agroindustrial e fabricação de viaturas especiais, compareceram nessa quarta-feira (21), à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) para receberem a indicação da área destinada à implantação do empreendimento no Polo JK, pelo Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo do Distrito Federal (Pró-DF II).
“Estou muito satisfeito com a área que nos foi indicada. São 10 mil m² de extensão e fica próxima ao Porto Seco. Isso vai facilitar bastante o nosso processo de logística”, comemorou Darlan Dalla Roza, diretor da Triel-HT.
O principal produto a ser fabricado pela unidade de Brasília é o Carro Contra Incêndio de Aeródromo e para Bombeiros Militares, com capacidades variadas, podendo chegar a até 30 mil litros de água, com adição de espuma e pó químico seco (PQS).
O empreendimento deve gerar, inicialmente, 56 empregos diretos no DF. Posteriormente, a meta é expandir a unidade para que possam trabalhar com os demais produtos, como ambulâncias, equipamentos rodoviários e agroindustriais, e, assim, aumentar o número de postos de trabalho.
De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Hermano Carvalho, “a vinda de uma empresa automobilística como a Triel-HT é um passo importante para o DF. Esta será a primeira empresa do Distrito Federal a ter a autonomia para emitir o número do chassi (ou Renavam) dos veículos que produz”.
Ainda segundo Carvalho, como as áreas do Pró-DF são de propriedade da Terracap, agora a SDE dará celeridade ao trabalho com o órgão para que as obras comecem ainda neste ano.
PRÓ-DF – O Programa tem por finalidade ampliar a capacidade da economia local na produção de bens e serviços e na efetiva geração de emprego, renda, receita tributária, e de promover o desenvolvimento econômico e social do DF.

- See more at: http://blogs.maiscomunidade.com/blog....EAmUoy6v.dpuf
Reply With Quote
     
     
  #153  
Old Posted May 25, 2014, 8:18 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,846
Espero que venham mais fábricas de porte como essa, aos poucos o pólo JK vai crescendo e gerando empregos
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #154  
Old Posted May 25, 2014, 10:39 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 25,868
E depois falam que o Agnelo viajando pelo mundo não consegue investimentos para Brasília. Dizem que as viagens internacionais são desnecessárias.
Reply With Quote
     
     
  #155  
Old Posted May 26, 2014, 4:02 PM
fabiano's Avatar
fabiano fabiano is offline
Registered User
 
Join Date: May 2013
Location: Brasília
Posts: 2,969
Excelente notícia. É disso que o DF precisa.
Reply With Quote
     
     
  #156  
Old Posted May 26, 2014, 4:05 PM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 25,868
Pior que matérias de elogia o empenho do governo reduzir a dependência estatal não é publicada em grandes jornais da cidade. Porque será? Me esqueci, não vou citar de quais partidos o Correio e o Jornal de Brasília fazem parte.
Reply With Quote
     
     
  #157  
Old Posted Jul 23, 2014, 11:06 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,846
Gasoduto de US$ 1 bi para Brasília é suspenso

Projeto da Transportadora Brasileira do Gasoduto Brasil Central perde viabilidade após acordo entre Petrobras e Cemig para levar gás da região metropolitana de Belo Horizonte para Uberaba


A Transportadora do Gasoduto Brasil Central (TGBC) anunciou na quarta-feira a suspensão do empreendimento, que ligaria São Carlos, no interior de São Paulo, a Brasília. Segundo a empresa, não houve “propostas válidas” para a contratação de capacidade do duto em consulta realizada sob a supervisão da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Único grande projeto para ampliação da infraestrutura de transporte de gás natural no Brasil, o gasoduto sucumbiu à concorrência com Petrobras e Gasmig, que decidiram construir uma nova linha ligando a região metropolitana de Belo Horizonte a Uberaba, no Triângulo Mineiro.

O Gasoduto Brasil Central recebeu licença de instalação em 2013 e, segundo a Lei do Gás, deveria realizar uma chamada pública de alocação de capacidade por interessados em transportar gás natural. Segundo comunicado publicado pela TGBC, a única proposta foi apresentada pela distribuidora Gás Brasiliano, controlada pela Petrobras. O volume pedido, porém, foi insuficiente para justificar o projeto, orçado em US$ 1 bilhão. O gasoduto foi planejado para inaugurar suprir mercados consumidores no Centro-Oeste e tinha como uma de suas âncoras a unidade de fertilizantes da Petrobras em Uberaba.

Foto: Agência Petrobras

TGBC procura alternativas para viabilizar o duto, como a construção de uma térmica em Brasília. Mas suprimento de gás é entrave



A própria estatal, porém, deu o golpe de misericórdia no projeto, ao se associar à estatal mineira Gasmig para construir um duto ligando a região metropolitana de Minas Gerais a Uberaba, equacionando o suprimento da fábrica. Orçado em R$ 2 bilhões, o projeto foi a solução encontrada pelas empresas para driblar restrições impostas pela ANP à interconexão das malhas de distribuição de Minas Gerais e da Gas Brasiliano — sob o argumento de que um grande duto de transporte poderia incentivar a interiorização do gás natural no país. Sem o TGBC, dizem analistas, Gasmig e Petrobras têm mais chance de dominar o mercado do Centro-Oeste.

Fonte próxima à TBGC informou que ainda estuda alternativas para viabilizar o Gasoduto Brasil Central. Uma delas seria a construção de uma térmica em Brasília, que consuma volume suficiente para viabilizar o projeto. “Já temos autorização para construir e licença de instalação. Falta o mercado”, disse o executivo. Emitida em 2013, a licença de instalação tem validade de cinco anos, explica a fonte. Ele acrescenta que o suprimento de gás é outro entrave à expansão da infraestrutura de transporte por terceiros, dado o amplo domínio da Petrobras na ponta do suprimento. “Sem a Petrobras, não há negócio.”

O Gasoduto Brasil Central é o único projeto de grande porte previsto no Plano de Expansão da Malha de Transporte de Gás Natural (Pemat), lançado este ano pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE). O planejamento para o setor tem ainda um outro duto, de menor porte, ligando o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí (RJ), a Guapimirim, na Baixada Fluminense. O empreendimento, de apenas 11 quilômetros, será usado exclusivamente pela Petrobras, para conectar a produção do pré-sal a um entroncamento de dutos próximo à Refinaria de Duque de Caxias.

Será o primeiro duto licitado com as regras estabelecidas na lei do gás. Como dona do gás, a Petrobras não poderá atuar na operação da tubulação, de acordo regulamentação instituída pela ANP este ano, com o objetivo de desverticalizar a cadeia do combustível.








http://brasileconomico.ig.com.br/bra...-suspenso.html
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #158  
Old Posted Jul 23, 2014, 11:11 PM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,846
Para viabilizar o TGBC é só puxar um ramal de Uberlândia para Brasília passando por Goiania, e fazendo a tal da Termoelétrica no Recanto das Emas, que terá um polo industrial, a TGBC tem 5 anos para começar as obras e acho que teremos o gasoduto antes desse prazo...
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
  #159  
Old Posted Jul 24, 2014, 2:10 AM
pesquisadorbrazil's Avatar
pesquisadorbrazil pesquisadorbrazil is offline
LLAP
 
Join Date: May 2011
Location: Brasília DF
Posts: 25,868
Mas é complicado isso, me lembro de uma intenção de retirar a Petrobras do SI e colocar nos extremos do DF, ou Oeste (Recanto das Emas ou Samambaia) ou Sul (Gama).

Outra coisa que vi, que a CONAB vai transferir seu Moinho instalado no SIA, portanto essa área possivelmente será as margens da via, então no Pólo JK. O local mais adequado.
Reply With Quote
     
     
  #160  
Old Posted Jul 24, 2014, 3:02 AM
MAMUTE's Avatar
MAMUTE MAMUTE is offline
...
 
Join Date: Nov 2010
Location: Brasília
Posts: 13,846
em algumas matérias que li o local desse polo industrial seria no Recanto das Emas, ate onde vai o gasoduto, mas nada impede de ter uma expansão dentro do DF
__________________
Concordou? Comente! Gostou? Comente! Discordou? Comente! Deixe sua Opinião!

Cadastre-se e Comente!
Reply With Quote
     
     
This discussion thread continues

Use the page links to the lower-right to go to the next page for additional posts
 
 
Reply

Go Back   SkyscraperPage Forum > Regional Sections > América Latina > Brasil > Regiões Metropolitanas Mundiais
Forum Jump


Thread Tools
Display Modes

Forum Jump


All times are GMT. The time now is 12:20 PM.

     

Powered by vBulletin® Version 3.8.7
Copyright ©2000 - 2023, vBulletin Solutions, Inc.