SkyscraperPage Forum

SkyscraperPage Forum (https://skyscraperpage.com/forum/index.php)
-   Regiões Metropolitanas Mundiais (https://skyscraperpage.com/forum/forumdisplay.php?f=688)
-   -   Parcelamentos Urbanos e Rurais no Distrito Federal - movimentos do setor (https://skyscraperpage.com/forum/showthread.php?t=196108)

pesquisadorbrazil Aug 11, 2020 1:57 AM

DF deve ganhar bairro de alto padrão, o último do Plano Piloto

Último bairro construído do Plano Piloto será inovador, baseado nos conceitos mais atuais de sustentabilidade, segundo Exército, dono do terreno no DF desde 2006

https://midias.correiobraziliense.co...on-6219072.jpg

O Governo do Distrito Federal e o Exército Brasileiro devem apresentar, na manhã da próxima quarta-feira (12/7), o Plano de Uso e Ocupação do solo da região conhecida como Pátio Ferroviário de Brasília (PFB). O espaço deve ser destinado ao último bairro construído no Plano Piloto e já é considerado - pelo Exército - um bairro de alto padrão.

A área localizada na extremidade oeste do Eixo Monumental pertence ao Exército desde 2006. Em maio de 2020, a Secretaria de Coordenação e Governança de Patrimônio da União (SPU) fez a entrega solene da documentação do local.

Antes disso, em setembro de 2019, foi assinado um Acordo de Cooperação Técnica entre o Departamento de Engenharia e Construção do Exército e a SPU, para o desenvolvimento de ações conjuntas na gestão do patrimônio imobiliário e no intercâmbio de capacitação técnica e novas tecnologias.

O Ministério da Economia informou que o acordo teve o objetivo de aprimorar a gestão e governança do Patrimônio da União. Em nota, a pasta destaca que a expectativa da SPU é de que a área possa trazer receitas significativas para a União, de forma que seja possível alocar recursos para as áreas de educação, saúde e infraestrutura.

O terreno é delimitado a Sul pela Via Estrutural (EPCL), a Oeste pelo Regimento de Cavalaria de Guarda (RCG), a Norte pela Estrada Parque Armazenamento e Abastecimento (EPAA) e a Leste pela Estrada Parque Indústria e Abastecimento (EPIA) e pelo Setor de Armazenamento e Abastecimento Norte (SAAN).

Segundo o Exército, o Plano de Ocupação foi elaborado com a finalidade de entregar à capital federal um bairro inovador, a fim de aplicar os conceitos mais atuais de sustentabilidade e de cidades inteligentes, cujo urbanismo e arquitetura serão referências no país.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Seduh) informou que fez o plano de uso e ocupação do novo bairro baseado na Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos) e, após a aprovação do texto, caberá ao Exército se manifestar sobre o assunto.

Fonte: https://www.correiobraziliense.com.b...no-piloto.html

pesquisadorbrazil Aug 11, 2020 1:58 AM

E que venha o Park Norte, assim evita-se que surja um novo assentamento 26 de setembro dizimando o Cerrado existente e soterrando as nascentes.

fabiano Aug 11, 2020 12:50 PM

Esse jornal forçou muito a barra dizendo que é o último bairro do Plano Piloto. Esse novo bairro não fica mais no Plano Piloto e muito menos em área tombada. Fica localizado no SIA.

Acredito que o novo bairro seguirá o mesmo padrão do Plano Piloto, porém, fora da poligonal do Plano Piloto e da área tombada. Será um novo Setor Noroeste.

DavidRPM Aug 11, 2020 1:12 PM

Quote:

Originally Posted by pesquisadorbrazil (Post 9006828)
DF deve ganhar bairro de alto padrão, o último do Plano Piloto

Último bairro construído do Plano Piloto será inovador, baseado nos conceitos mais atuais de sustentabilidade, segundo Exército, dono do terreno no DF desde 2006

https://midias.correiobraziliense.co...on-6219072.jpg

O Governo do Distrito Federal e o Exército Brasileiro devem apresentar, na manhã da próxima quarta-feira (12/7), o Plano de Uso e Ocupação do solo da região conhecida como Pátio Ferroviário de Brasília (PFB). O espaço deve ser destinado ao último bairro construído no Plano Piloto e já é considerado - pelo Exército - um bairro de alto padrão.

A área localizada na extremidade oeste do Eixo Monumental pertence ao Exército desde 2006. Em maio de 2020, a Secretaria de Coordenação e Governança de Patrimônio da União (SPU) fez a entrega solene da documentação do local.

Antes disso, em setembro de 2019, foi assinado um Acordo de Cooperação Técnica entre o Departamento de Engenharia e Construção do Exército e a SPU, para o desenvolvimento de ações conjuntas na gestão do patrimônio imobiliário e no intercâmbio de capacitação técnica e novas tecnologias.

O Ministério da Economia informou que o acordo teve o objetivo de aprimorar a gestão e governança do Patrimônio da União. Em nota, a pasta destaca que a expectativa da SPU é de que a área possa trazer receitas significativas para a União, de forma que seja possível alocar recursos para as áreas de educação, saúde e infraestrutura.

O terreno é delimitado a Sul pela Via Estrutural (EPCL), a Oeste pelo Regimento de Cavalaria de Guarda (RCG), a Norte pela Estrada Parque Armazenamento e Abastecimento (EPAA) e a Leste pela Estrada Parque Indústria e Abastecimento (EPIA) e pelo Setor de Armazenamento e Abastecimento Norte (SAAN).

Segundo o Exército, o Plano de Ocupação foi elaborado com a finalidade de entregar à capital federal um bairro inovador, a fim de aplicar os conceitos mais atuais de sustentabilidade e de cidades inteligentes, cujo urbanismo e arquitetura serão referências no país.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Seduh) informou que fez o plano de uso e ocupação do novo bairro baseado na Lei de Uso e Ocupação do Solo (Luos) e, após a aprovação do texto, caberá ao Exército se manifestar sobre o assunto.

Fonte: https://www.correiobraziliense.com.b...no-piloto.html

Esse novo bairro poderia ser igual o La Défense em Paris, com torres altas e modernas, ficaria lindo. :(

pesquisadorbrazil Aug 11, 2020 2:39 PM

Quote:

Originally Posted by DavidRPM (Post 9007092)
Esse novo bairro poderia ser igual o La Défense em Paris, com torres altas e modernas, ficaria lindo. :(

Infelizmente terá 9 andares e o pilotis. Ele deveria ser totalmente cercado que nem a octogonal.

pesquisadorbrazil Aug 11, 2020 3:25 PM

Saiba por que o Iphan reprovou novo bairro no DF proposto pela Terracap

O setor habitacional será construído no Jóquei Clube e na Quaresmeira. O Iphan reprovou os cenários enviados para consulta prévia

https://uploads.metropoles.com/wp-co...be-600x400.jpg

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) reprovou proposta da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) para a criação de um novo bairro no Jóquei Clube e na Quaresmeira, localizados no Guará. O Parecer Técnico nº 67/2020 foi emitido no dia 25 de junho.

O setor habitacional será construído em uma área de aproximadamente 272,56 hectares que pertence à Terracap. A estatal planeja dois empreendimentos distintos.

Entretanto, como o Jóquei Clube e a Quaresmeira são contíguos, a previsão é de que haverá uma integração por meio da Estrada Parque Taguatinga (EPTG).

A aprovação do Iphan é necessária porque se trata de intervenção em um local no entorno do Conjunto Urbanístico de Brasília (CUB). O órgão analisou como o novo bairro seria visto na perspectiva de quem está na área tombada da capital federal.


Segundo o Iphan, pelo caráter preliminar do material encaminhado, o pedido da Terracap foi considerado como consulta prévia. Para a análise conclusiva do projeto urbanístico em relação ao impacto do ponto de vista patrimonial, é preciso sanar as dúvidas levantadas no parecer técnico.

A Terracap enviou ao órgão competente documentos que incluem estudo de impacto na paisagem, com dois cenários de alturas para edificações, mas nenhum passou pelo crivo do Iphan.

Cenários

No caso do cenário A, os prédios do novo setor teriam térreo e mais 12 pavimentos, totalizando 37,5 metros de altura. No cenário B, os edifícios seriam compostos por térreo mais 19 pavimentos, com 60 metros.

Há previsão de altura maior nas proximidades da futura estação de BRT da EPTG, elevando o limite a 40,5 metros e 85,5 metros, respectivamente. Essas edificações maiores ficariam em local com menor altitude, o que atenuaria o impacto na paisagem, segundo a Terracap.

No Parecer Técnico nº 67/2020, o Iphan descartou o cenário B porque entendeu que não é adequado do ponto de vista patrimonial, uma vez que “interfere negativamente na visibilidade do horizonte na perspectiva a partir da área tombada”.

“Considera-se que a alteração na linha do horizonte significa uma alteração da visibilidade e da ambiência do Conjunto Urbanístico de Brasília, que tem na integração da paisagem urbana com a linha de cumeada da Bacia do Paranoá uma característica de importante preservação”, disse.

Além do limite

O Iphan avaliou que o cenário A tem uma “extrapolação não justificada do limite estabelecido pelo Iphan e pelas diretrizes urbanísticas”. “Verifica-se, assim, que a altura proposta para a área configurará uma massa edificada destoante do planejado”, assinalou.

Segundo o instituto, a proposta para o novo bairro agrega “um incremento desproporcional” para o Jóquei Clube e a Quaresmeira em relação às diretrizes estabelecidas pelo governo local para a área, que permitem altura máxima de 26 metros, e ao que poderia ser considerado “inofensivo” do ponto de vista patrimonial, com prédios de 21 metros.

A Diretriz Urbanística (DIUR) de número 06, de 2017, aplicada para a região, e o Plano Diretor Local (PDL) do Guará, preveem altura máxima de 26 metros para os edifícios. E a Portaria nº 68/2012 do Iphan estabelece que projetos com mais de 21 metros precisam ser submetidos ao órgão para avaliação do impacto sobre a ambiência e a visibilidade do bem tombado.

O Iphan solicitou a revisão do projeto, adequando a altura máxima proposta para o novo bairro, tendo como limite o previsto na DIUR e no PDL.

Ainda segundo o parecer técnico, é preciso conhecer os impactos que o novo empreendimento significará para as unidades de conservação ambiental nas redondezas, em especial no caso das que são ligadas ao Lago Paranoá, como o Parque Nacional de Brasília.

O Jóquei Clube tem 258 hectares. A previsão é de que o local abrigue mais de 38 mil habitantes. A área abrange as antigas instalações do Jockey de Brasília, hoje fora de funcionamento. O Setor Quaresmeira é constituído de um lote e de áreas desocupadas às margens da EPTG, na proximidade do Superquadra Brasília (SQB).
O que dizem

A Terracap disse à coluna que o projeto para o novo bairro se encontra em fase de revisão do estudo preliminar, após uma primeira análise da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh). “O processo de licenciamento ambiental se encontra em fase de estudo”, explicou.

Segundo a estatal, a apreciação do Iphan é uma das fases do processo de licenciamento de novos parcelamentos dentro da área de entorno do Conjunto Urbanístico de Brasília.

“Submetemos os cenários desenvolvidos a fim de verificar qual a percepção do Iphan a respeito do impacto visual na área tombada. O estudo preliminar será encaminhado à Seduh para análise preliminar e manifestação, e após a aprovação deles, a própria secretaria encaminhará ao Iphan para apreciação”, pontuou.

A agência afirmou que o modelo de negócios para o novo bairro ainda está em estudo pela equipe técnica. Assinalou, ainda, que os dados quantitativos conclusivos sobre o novo setor habitacional, que incluem número de moradores, não estão prontos porque o projeto segue em elaboração.

“A missão institucional da Terracap demanda o desenvolvimento de projetos complexos, sempre sujeitos à apreciação de diversos órgãos da administração direta e indireta do Distrito Federal e, no caso em tela, do Iphan. Motivo pelo qual é normal e cotidiana a imposição de condicionantes e o pedido de revisão de propostas. A empresa busca sempre a superação de eventuais gargalos e a compatibilização do interesse público com as condicionantes estabelecidas, a fim de oferecer bairros legalizados em tempo hábil, fazendo frente à crescente demanda habitacional de Brasília”, disse.

Em nota, o Iphan disse que a análise levou em consideração um estudo que ainda está em desenvolvimento pela Terracap, que apresentará ao órgão, quando desenvolvido, o projeto a ser analisado em caráter definitivo.

Fonte: https://www.metropoles.com/colunas-b...-pela-terracap

pesquisadorbrazil Aug 11, 2020 3:26 PM

Sempre o IPHAN, espero que o projeto apresentado pelo deputado federal, arranque essa autonomia do mesmo, de tombar as coisas sem consulta do povo.

MAMUTE Aug 11, 2020 4:30 PM

Quote:

Originally Posted by pesquisadorbrazil (Post 9007230)
Sempre o IPHAN, espero que o projeto apresentado pelo deputado federal, arranque essa autonomia do mesmo, de tombar as coisas sem consulta do povo.

Esse IPHAN é um saco, nao ajuda o desenvolvimento da cidade, nao serve pra nada:hell:

pesquisadorbrazil Aug 11, 2020 8:17 PM

Quote:

Originally Posted by MAMUTE (Post 9007308)
Esse IPHAN é um saco, nao ajuda o desenvolvimento da cidade, nao serve pra nada:hell:

O povo lá é tudo comunista. Interessante, se fosse um gigantesco assentamento a lá 26 de setembro, desmatando o cerrado e secando as nascentes o IPHAN nem iria ligar.

MAMUTE Aug 11, 2020 8:34 PM

Quote:

Originally Posted by pesquisadorbrazil (Post 9007605)
O povo lá é tudo comunista. Interessante, se fosse um gigantesco assentamento a lá 26 de setembro, desmatando o cerrado e secando as nascentes o IPHAN nem iria ligar.

Com toda certeza:hell: bando de loucos:hell:

pesquisadorbrazil Aug 11, 2020 11:20 PM

Quote:

Originally Posted by MAMUTE (Post 9007622)
Com toda certeza:hell: bando de loucos:hell:

Pra que serve IBAMA e IPHAN, reclamam do Jockey Clube e fizeram vista grossa no assentamento 26 de setembro

fabiano Aug 11, 2020 11:30 PM

Engraçado que o IPHAN não dá um piu quanto aos parcelamentos irregulares/invasões da 26 de Setembro, Morro da Cruz, Capão Comprido, Ponte Alta, inúmeros condomínios irregulares do Jardim Botânico, etc.

O mais curioso disso tudo é que o 26 de Setembro fica encravado dentro da Flona.

fabiano Aug 11, 2020 11:34 PM

Lançamento, Quadra Parque Gama | CONBRAL | Quadra 03, Setor Central

https://conbral.com.br/img/portfolio...ntos/gama2.jpg

pesquisadorbrazil Aug 12, 2020 12:14 AM

Quote:

Originally Posted by fabiano (Post 9007838)
Lançamento, Quadra Parque Gama | CONBRAL | Quadra 03, Setor Central

https://conbral.com.br/img/portfolio...ntos/gama2.jpg

Eu iria colocar esse projeto, mas só tinha a fachada, e detalhe a Conbral voltando ao mercado.:tup:

MAMUTE Aug 12, 2020 12:38 AM

Quote:

Originally Posted by fabiano (Post 9007838)
Lançamento, Quadra Parque Gama | CONBRAL | Quadra 03, Setor Central

https://conbral.com.br/img/portfolio...ntos/gama2.jpg

Rapaz... me agradou esse prédio aí:cheers:

fabiano Aug 12, 2020 1:04 AM

Me agradou bastante, também. Pelo que eu estava vendo, serão 3 projeções, a Quadra 03 do Setor Central inteira.

fabiano Aug 12, 2020 1:06 AM

Quote:

Originally Posted by pesquisadorbrazil (Post 9007869)
Eu iria colocar esse projeto, mas só tinha a fachada, e detalhe a Conbral voltando ao mercado.:tup:

Só encontrei essa foto da fachada. Mas, a Quadra 03 do Setor Central está toda "tapumada" e com um outdoor do lançamento.:cheers:

pesquisadorbrazil Aug 12, 2020 2:35 AM

Quote:

Originally Posted by fabiano (Post 9007907)
Só encontrei essa foto da fachada. Mas, a Quadra 03 do Setor Central está toda "tapumada" e com um outdoor do lançamento.:cheers:

Ainda é pré-lançamento, só tem imagem da fachada no site.:cheers:

MAMUTE Aug 12, 2020 6:03 PM

Novo bairro residencial deve abrigar 63 mil moradores

Plano de construção, elaborado pela Seduh e em parceria com o Exército e a Secretaria de Patrimônio da União, terá cerca de 21 mil imóveis

https://www.agenciabrasilia.df.gov.b...2-at-14-38-25/

O Governo do Distrito Federal (GDF) entregou, nesta quarta-feira (12), o projeto do novo bairro residencial ao Exército Brasileiro. O empreendimento de 4.226.976.34 metros quadrados, será construído na área chamada de Pátio Ferroviário de Brasília, nas proximidades da antiga Rodoferroviária e deve abrigar cerca de 63 mil moradores em 21 mil imóveis.

O plano foi elaborado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), em parceria com os militares e com a Secretaria de Patrimônio da União (SPU).

Durante a cerimônia de entrega do documento, que ocorreu no Salão de Honra do comandante do Exército Leal Pujol, o governador Ibaneis Rocha destacou a rapidez na elaboração do plano. “Foi menos de um ano para preparar o projeto”, lembra. “A previsão é de que no próximo ano já ocorram as vendas de imóveis. Dessa forma, evitaremos invasões e haverá mais desenvolvimento econômico para a cidade”, ressaltou o chefe do Executivo local.

Comandante do Exército Brasileiro, Leal Pujol, também comemorou a finalização e entrega da proposta. “O bairro será uma forma de beneficiar toda a sociedade, fomentando a economia local”, comentou. “Foi um trabalho eficiente, competente e conjunto, em um curto espaço de tempo”, reforçou.

Projeto
A proposta obedece aos parâmetros previstos na Lei Complementar de Uso e Ocupação do Solo do DF (Luos) e o Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot). O documento estabelece diretrizes urbanística do novo bairro, como quais áreas e altura máxima que as construções poderão ter, assim como a delimitação do uso.

Segundo o plano, a ideia é valorizar os espaços públicos que devem ser amplos e arborizados, além do investimentos em mobilidade, como construção vias, calçadas e ciclovia. Haverá uma área destinada ao comércio e setores de saúde e educação.

Também será feita a integração com o sistema de transporte público, como ônibus, Veículos Leve sobre Trilhos (VLT) e trem para a conexão de outras áreas – DF-010, Eixo Monumental e os setores de Armazenagem e Abastecimento Norte (SAAN), de Indústria e Abastecimento (SIA) e Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA).

O chefe do departamento de Engenharia e Construção do Exército, general Cláudio Moura, agradeceu ao governador Ibaneis Rocha pelo apoio no projeto e a Seduh pela participação na proposta. “O objetivo é construir um bairro com conceitos inovadores de sustentabilidade e de cidades inteligentes. O urbanismo e a arquitetura serão referência para o país”, salienta.

Um dos desafios do plano está relacionado a atividade de operação de carga e descarga de minério, que ainda eram executadas no ramal ferroviária. “Esse tipo de operação é considerada poluidora, o que pode causar degradação ambiental. Seria incompatível com uma área residencial”, reforça o general Moura.

Próximos passos
A secretária Executiva da Seduh, Giselle Moll, explica que o plano é uma diretriz de como deverá ser o novo bairro residencial. “Agora, cabe ao Exército, que é proprietário do terreno, dar continuidade aos estudos”, informa. Ainda será feita uma reunião com a Companhia do Metropolitana do DF (Metrô) para fechar a proposta da área para o terminal e com a Secretaria de Transporte para definir o local necessário para linha de trem de passageiros.

Também haverá uma proposta ao Grupo Técnico Executivo a pedido do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), entre outros encontros, com demais órgãos, para finalizar o projeto.

Oficialização
Desde 2006, a área pertence ao Exército, que atua em constante patrulhamento patrimonial para manutenção e conservação das terras. Com a assinatura do novo Termo de Entrega e Recebimento (TER) em maio deste ano, os militares passam, formalmente, a cuidar e trabalhar pela destinação do espaço. Um planejamento estratégico também foi apresentado pelos militares à União, demonstrando a intenção de promover o desenvolvimento da área.

Video Link






https://agenciabrasilia.df.gov.br/20...mil-moradores/

pesquisadorbrazil Aug 12, 2020 7:50 PM

Perderam a oportunidade de integrar o transporte de massa com comércio, isso ocorre em qualquer país.


All times are GMT. The time now is 6:30 PM.

Powered by vBulletin® Version 3.8.7
Copyright ©2000 - 2021, vBulletin Solutions, Inc.