SkyscraperPage Forum

SkyscraperPage Forum (https://skyscraperpage.com/forum/index.php)
-   Infraestrutura & Transporte (https://skyscraperpage.com/forum/forumdisplay.php?f=696)
-   -   Transporte Aéreo - Movimentação no Setor (https://skyscraperpage.com/forum/showthread.php?t=194017)

MAMUTE Aug 1, 2012 12:34 AM

Demanda aérea doméstica cresce 11% em junho


A demanda doméstica do transporte aéreo de passageiros cresceu 11% em junho quando comparada com igual mês de 2011, segundo dados divulgados nesta terça-feira pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A demanda acumulada nos seis primeiros meses de 2012 apresentou crescimento de 7% em relação a igual período do ano passado.

Entre as empresas que apresentaram participação no mercado doméstico superior a 1%, Avianca e Trip tiveram as maiores taxas de crescimento da demanda, da ordem de 88% e 58,83%, respectivamente, em junho de 2012 em relação a junho de 2011, enquanto TAM registrou aumento de 9,47% e a Gol redução de 0,85% no mesmo período.

A oferta no mercado doméstico teve crescimento de 4,30% em junho deste ano em relação a igual mês de 2011. No acumulado dos primeiros seis meses do ano, o crescimento foi de 8,46% na comparação com o mesmo intervalo do ano passado. De acordo com a Anac, o resultado de junho de 2012 representou o maior nível de oferta e de demanda do transporte aéreo doméstico para o mês desde o início da série, em 2000.

A taxa de ocupação dos voos domésticos de passageiros foi de 72,63% em junho, ante 68,06% em junho de 2011. No acumulado dos primeiros seis meses de 2012, houve uma diminuição de 1% na taxa de ocupação quando comparada a igual período de 2011. As maiores taxas de ocupação em junho de 2012 foram alcançadas por Azul e Avianca, com 79,07% e 76,96%, respectivamente.

TAM e Gol lideraram o mercado doméstico em junho de 2012, com 41,05% e 33,12% de participação, respectivamente. No acumulado dos primeiros seis meses de 2012, a participação das duas empresas alcançou 39,67% e de 34,11%, respectivamente. A soma do market share das líderes em junho de 2012 (74,17%) registrou decréscimo em relação a igual mês de 2011, quando essas empresas juntas somavam 78,91% de participação.

Ainda conforme a Anac, a participação das empresas de menor porte no mercado doméstico cresceu no primeiro semestre de 2012, passando de 19,77% para 26,22%. Na comparação de junho de 2011 com junho de 2012, a participação dessas companhias foi de 21,09% para 25,83%. A participação da Azul aumentou de 8,56% para 10,17% e a da Avianca saltou de 2,95% para 4,98%.

Mercado internacional

A demanda do transporte aéreo internacional de passageiros cresceu 3,11% em junho em relação a junho do ano passado. A oferta registrou aumento de 1,01% no mesmo período. De janeiro a junho de 2012, a demanda registrou aumento de 1,15% e a oferta diminuiu 1,87% quando comparadas com igual período de 2011.

A TAM, com 90,37%, e a Gol, com 9,63%, representaram quase a totalidade da participação das empresas brasileiras no transporte aéreo internacional de passageiros em junho. A TAM registrou aumento na sua participação em relação a igual mês de 2011, da ordem de 2,88%, enquanto a Gol registrou avanço de 21,46% no mesmo período.

A taxa de ocupação dos voos internacionais de passageiros operados por empresas brasileiras alcançou 79,27% em junho de 2012, em relação aos 77,66% de igual mês de 2011. O aproveitamento da TAM em junho de 2012 foi de 81,83%, enquanto o da Gol ficou em 61,32%.












http://www.istoedinheiro.com.br/noti...CE+11+EM+JUNHO

pesquisadorbrazil Aug 2, 2012 5:44 PM

“Concessionárias de aeroportos vão investir muito mais“
DA AGÊNCIA BRASIL

O ministro da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, disse hoje que as concessionárias dos aeroportos que foram leiloados recentemente vão investir mais do que as obrigações contratuais até a Copa do Mundo de 2014.

Segundo ele, a empresa responsável pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP) deveria construir um terminal novo para 7 milhões de passageiros, mas está projetando, para o segundo semestre, ampliar a capacidade para 12 milhões de passageiros.

Em Viracopos (Campinas), a obrigação era a de construir um terminal para 5,5 milhões de passageiros até a Copa, mas a capacidade será de 14 milhões. No Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek (Brasília), o terminal era para mais 2 milhões de passageiros, mas será para 8 milhões.

“Todos eles estão investindo mais que a obrigação no caderno de encargos. Eles vão cumprir o prazo necessário para poder funcionar na Copa do Mundo e estão fazendo investimentos de curto prazo de melhorias, que serão sentidas nos próximos meses pela população” , disse o ministro, durante audiência pública da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados.

Bittencourt também informou que, com os recursos arrecadados com a concessão de aeroportos à iniciativa privada, o valor do Fundo Nacional de Aviação Civil vai passar de R$ 200 milhões neste ano para R$ 2,6 bilhões no ano que vem. “Com isso, teremos recursos e condições para desenvolver um programa grande e agressivo para não só melhorar a qualidade de grandes aeroportos como para aeroportos regionais.”

O ministro destacou o crescimento do setor, lembrando que, atualmente, mais pessoas viajam de avião do que de ônibus. “Cresce não só numero de passageiros, mas a quantidade de voos, o que demonstra investimentos das empresas aéreas”, disse. Segundo ele, o valor médio das tarifas e os índices de atrasos tiveram redução nos últimos anos.

Ele voltou a dizer que o governo ainda não tem uma decisão sobre a possibilidade de novas concessões de aeroportos, nem sobre o modelo que poderá ser adotado. “Estamos discutindo, mas não temos nenhuma decisão ainda. Essa é uma decisão de governo.”

Fonte: http://www.panrotas.com.br/noticia-t...ais_80257.html

MAMUTE Sep 29, 2012 12:31 PM

Prejuízo bilionário das aéreas faz governo acender 'luz amarela'



Os prejuízos registrados por companhias aéreas neste ano fizeram acender a "luz amarela" para o governo federal. O receio refere-se aos impactos que os resultados negativos possam ter sobre os preços de passagens e a saúde financeira das empresas.

A preocupação foi externada pela ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, a representantes do setor de turismo durante reunião fechada no Palácio do Planalto anteontem.

Estavam presentes representantes de associações, entre elas, a recém-criada Abear (Associação Brasileira das Companhias Aéreas).

Durante o encontro, um dos presentes citou o prejuízo bilionário registrado pelas companhias Gol e TAM no segundo trimestre deste ano --juntas, duas registraram perdas de R$ 1,6 bilhão-- e disse que "luzes vermelhas" deveriam ser acesas por conta desses resultados.

Gleisi admitiu, então, que essa era uma preocupação do governo e que a "luz amarela" estava acesa.

A ministra, na reunião, afirmou: "A questão da aviação comercial também é algo que nos preocupa, acendeu a luz amarela. Nós temos que conversar muito com aqueles moços ali, para ver o que está acontecendo, porque é uma concessão, um serviço público concedido. É o direito de ir e vir das pessoas".

"Eu nunca vi o governo manifestar preocupação antes. Espero que não seja só discurso, senão poderá ser tarde demais", diz a diretora do Sindicato Nacional dos Aeronautas, Graziella Baggio.

Entre os presentes na reunião, estava o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz. À Folha ele admitiu que as "perspectivas são negativas" para os números dos próximos trimestres.

Contudo, afirmou que as companhias "não pretendem" aumentar os preços das passagens aéreas. No lançamento da Abear, em agosto, os presidentes da TAM e da Gol disseram que a tendência era de aumento nos preços.

A Casa Civil, em nota, disse que a preocupação mencionada na reunião "diz respeito à garantia e qualidade da prestação de serviços por parte das empresas aéreas à população".

O órgão afirma que "cobrará medidas que devem ser tomadas pelas companhias para eficiência de sua gestão".

A pasta não menciona no documento ações do governo para reduzir o custo dos combustíveis e o das tarifas de aeronavegação --mencionados pelas aéreas como responsáveis por parte do prejuízo.

A Casa Civil citou a recente desoneração da folha de pagamento das empresas como uma medida para conter a sangria das aéreas, mas a Abrae diz que a medida não é suficiente.

Do prejuízo de R$ 1,6 bilhão, o alívio sobre a folha cobre apenas R$ 300 milhões, segundo Sanovicz.










http://www1.folha.uol.com.br/mercado...-amarela.shtml

MAMUTE Dec 3, 2012 7:13 PM

Infraero anuncia lanchonetes populares em aeroportos das cidades-sede da Copa do Mundo


No novo modelo, 15 produtos serão tabelados com base em pesquisas de preços


A Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) anunciou que pretende implantar lanchonetes populares nos aeroportos, com preços mais baratos. No modelo de lanchonete popular proposto pela Infraero, 15 produtos serão tabelados, com base em uma pesquisa dos preços praticados nos mercados locais.

Até o momento, os aeroportos das cidades paranaenses de Londrina e Curitiba já têm estabelecimentos do tipo. O próximo a receber o modelo será o aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, com o pregão, para escolher a empresa responsável, marcado para 10 de dezembro. No caso do Galeão, a porção com seis pães de queijo vai custar R$ 2,40 e o refrigerante em lata sairá por R$ 3,60. O café expresso será R$ 2,90.

http://www.r7.com/data/files/2C95/94...porto%20jk.JPG
Lanchonetes e restaurantes vazios no aeroporto de Brasília:consumidores dos restaurantes e lanchonetes reclamam dos preços altos dos produtos

Agora em dezembro, está prevista a licitação para a lanchonete popular do aeroporto Santos Dumont. Os aeroportos Guararapes, em Recife (PE), e Augusto Severo, em Natal (RN), foram licitados em agosto e tiveram o contrato assinado em setembro, com prazo de 90 dias para entrar em funcionamento. Em setembro, a Infraero fez a licitação da lanchonete popular de Congonhas, em São Paulo, e em outubro, a do aeroporto Luís Eduardo Magalhães, em Salvador (BA).

Ganha a licitação a empresa que oferecer o maior valor de aluguel para a Infraero, a partir de um preço mínimo estipulado no edital. A lanchonete é obrigada a manter somente o cardápio de 15 itens a preços populares, podendo cobrar valores mais altos em outros produtos.

De acordo com a assessoria de comunicação da Infraero, a intenção é que até 2014 todos os terminais de cidades-sede da Copa recebam uma lanchonete popular. A implantação, no entanto, está sujeita à disponibilidade de espaço.

A assessoria da Infraero informou ainda que atualmente os restaurantes e lanchonetes dos terminais não são obrigados a obedecer a qualquer tipo de tabela. De acordo com a estatal, os preços nesses locais estão sujeitos apenas às leis da livre concorrência. De acordo com a empresa, o objetivo da iniciativa das lanchonetes populares é "oferecer opções mais em conta e fortalecer a concorrência". Questionada se o estímulo à competição ajudaria a baixar os preços atuais e se a estatal os considerava altos, o órgão informou que não poderia fazer juízo de valor sobre a questão.

Preços continuarão altos

Para Miguel Costa, a implantação de lanchonetes populares não ajudará a diminuir os preços das demais lanchonetes e restaurantes no aeroporto.

— Não vai puxar para baixo porque não tem como o concessionário praticar menos do que aquilo. Além disso, na lanchonete popular o preço será tabelado para 15 produtos. O resto do estoque é livre e o lojista vai aproveitar para compensar.

Na avaliação de Maria Inês Dolci, coordenadora da ProTeste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor), o motivo do maior custo da alimentação nos terminais aéreos é a presença de pouca competição.

— O que acontece nessa questão do aeroporto é que as empresas têm pouca concorrência ali dentro. Dá para perceber que é muito mais caro, e não é só a lanchonete. As outras lojas também.

Para quem não quer pagar caro, ela recomenda não fazer as refeições nos aeroportos.

— O consumidor, já sabendo que é muito mais caro, tem de evitar comer. É melhor fazer a refeição em casa, antes de viajar, ou então em um estabelecimento fora do terminal.

Ela propõe ainda que os usuários fiquem atentos à qualidade dos serviços prestados, e caso achem algum preço realmente abusivo e fora dos padrões de mercado, façam queixa à Infraero.

— Se for grave e o consumidor não reclamar, aquele problema continua.








http://noticias.r7.com/distrito-fede...-20121203.html

MAMUTE Dec 13, 2012 12:07 AM

Dilma quer construir pelo menos 800 novos aeroportos no País


A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira, em Paris, na França, que pretende construir 800 novos aeroportos regionais no Brasil nos próximos anos. O objetivo é que todas as cidades com até 100 mil habitantes tenham uma pista de pouso a no máximo 70 km de distância.

“Os números no Brasil às vezes são grandes. Nós pretendemos fazer, no Brasil, em torno de 800 ou mais aeroportos regionais”, afirmou a presidente, em discurso na sede do Movimento das Empresas Francesas (Medef), a maior organização patronal francesa, em Paris. “Nós temos recursos para isso, originários até da outorga que cobramos dos grandes aeroportos. Nós temos de interiorizar o transporte aeroviário no Brasil”, explicou a presidente, estimulando o desenvolvimento de médias empresas do setor a atenderem às demandas de um País “de dimensão continental”.

Quanto aos grandes aeroportos, Dilma frisou que deseja investir na formação de pessoal da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) para garantir a qualidade dos serviços no Brasil. Ela também destacou que o setor ferroviário é prioritário para o governo, com o início, amanhã, da primeira fase da licitação para o trem-bala que ligará São Paulo ao Rio de Janeiro. A petista convidou as empresas francesas a participarem destes projetos, ressaltando que “nunca houve um momento mais favorável para a cooperação” entre a França e o Brasil.

Na plateia, dezenas de empresários de grandes companhias francesas, como a Alstom, da área de energia e transportes, cobraram a redução da burocracia para viabilizar investimentos no Brasil, principalmente obras de infraestrutura. A presidente do Medef, Laurence Parisot, apontou que o custo Brasil e as incertezas jurídicas são um freio para os investidores estrangeiros decidirem ir para o País.

“Estes dois fatores penalizam muito as médias empresas que pensam em se instalar no Brasil. E ao mesmo tempo, queremos colocar o Brasil no coração dos nossos sonhos”, declarou Parisot. A presidente brasileira respondeu que um mercado de 40 milhões de brasileiros da classe C está aberto aos franceses e que, para isso, o governo trabalha para diminuir as barreiras aos investimentos, reduzindo a burocracia. Ela defendeu uma economia mais flexível para o desenvolvimento da ciência e da tecnologia, e citou medidas como a queda do custo do capital e a redução da taxa de juros cobrados no País, além de lembrar que o Planalto implanta novos estímulos à agricultura e à indústria para retomar o caminho do crescimento econômico.

“O Brasil não vai ser só exportador de commodities. Queremos também ser uma potência na área de manufaturas”, sublinhou.

A dirigente patronal francesa estimulou as companhias brasileiras a investirem na França, nicho explorado por um número reduzido de setores como o de aviação, cosméticos e sapatos, ao mesmo tempo em que pelo menos 430 empresas francesas atuam no Brasil. Como Dilma, Parisot destacou que as áreas espacial, agroalimentar e de desenvolvimento sustentável são as que mais podem ser ampliadas no comércio bilateral.

Depois do evento junto aos empresários, Dilma seguiu para um encontro com o prefeito de Paris, Bertrand Delanoë, no Hôtel de Ville, a prefeitura da capital francesa. Recebida no salão de honra, a presidente pediu ao governante que apoie a candidatura de São Paulo para ser cidade-sede da exposição universal de 2020. A capital paulista disputa com Ayutthaia, na Tailândia, Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, Ecaterimburgo, na Rússia, e Izmir, na Turquia.

Paris já sediou o evento seis vezes, no que resultou na construção de monumentos como a Torre Eiffel e o Grand Palais. Dilma argumentou que a cidade mantém uma série de parcerias com a cidade do Rio de Janeiro, nas áreas de transportes, desenvolvimento sustentável, habitação social e urbanismo, e disse esperar “que a ligação com São Paulo seja restabelecida”.
A primeira visita de Estado de Dilma à França se encerra nesta quarta-feira. Ela parte ainda hoje para a Rússia, onde fica até sexta-feira.












http://noticias.terra.com.br/brasil/...ceb0aRCRD.html

Maths2 Dec 13, 2012 2:31 AM

:previous::previous::previous:^
Não tá fazendo o básico que é melhorar os que já existem e quer construir 800? hahaha...Ela pelo menos tem senso de humor...

pesquisadorbrazil Dec 13, 2012 2:47 AM

Quote:

Originally Posted by Maths2 (Post 5935943)
:previous::previous::previous:^
Não tá fazendo o básico que é melhorar os que já existem e quer construir 800? hahaha...Ela pelo menos tem senso de humor...

Pelo menos, dos 800, 2 serão aqui em Brasília, um em Sobradinho e outro em Planaltina.

MAMUTE Dec 13, 2012 10:59 AM

Creio eu, que esse plano inclui pavimentação de pistas já existentes e ampliações, incluindo os aeroportos novos construídos pela iniciativa privada...

pesquisadorbrazil Dec 18, 2012 1:28 PM

Tam troca avião e aumenta oferta de assentos para Miami

A substituição da aeronave utilizada nas rotas para Miami, na Flórida, vai aumentar a oferta da Tam para a cidade norte-americana. A companhia aérea vai colocar o Airbus 330 no lugar do Boeing 767-300 nas rotas que ligam Belo Horizonte, Brasília, Manaus e Rio de Janeiro a Miami. A mudança aumenta a oferta de assentos dos atuais 205 para 221 lugares, na econômica. Na classe executiva, o aumento é de 30 para 34 poltronas e a primeira classe, inexistente no B 767-300, tem quatro lugares no A-330.

A novidade também inclui entretenimento individual para os passageiros, com opções de filmes, programação infantil e variados estilos musicais. “Queremos proporcionar mais conforto aos clientes que desejam viajar entre o Brasil e Miami e a entrada das novas aeronaves A-330 significa ser possível transportar mais passageiros sem que haja a perda na qualidade do serviço prestado”, diz o vice-presidente de Operações Internacionais do Grupo Latam, Nelson Shinzato.

Na rota Rio de Janeiro-Miami, o A-330 foi introduzido ontem. Hoje, a aeronave começa a operar na rota Manaus-Miami e amanhã, dia 19, na rota Brasília-Miami. Na quinta-feira, dia 20, é a vez da rota Belo Horizonte-Miami. De São Paulo, o voo para Miami continua sendo operado com o Boeing 777, com 363 assentos. A Tam conta hoje com 35 frequências semanais do Brasil para Miami.

Fonte: http://www.panrotas.com.br/noticia-t...ami_83950.html

pesquisadorbrazil Dec 18, 2012 1:29 PM

Finalmente, trocar as sucatas por aviões novos. Os passageiros e por tabela o meio ambiente agradecem antecipadamente.

pesquisadorbrazil Dec 20, 2012 3:08 PM

Dilma libera exploração de aeroportos privados para aviação executiva

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff assinou nesta quinta-feira um decreto que libera a exploração comercial de aeroportos privados voltados exclusivamente à aviação geral (executiva). Até hoje, esse tipo de aeroporto podia ser construído pela iniciativa privada, mas sem uso por terceiros. Apenas a Infraero podia explorar aeroportos, como o Campo de Marte (SP) e Jacarepaguá (RJ), para a aviação executiva.

http://i1293.photobucket.com/albums/...ps49163e86.jpg
Dilma Rousseff durante cerimônia de anúncio do Programa de Investimentos em Logística: Aeroportos.

Os empreendimentos serão liberados, caso a caso, por meio de autorização. O decreto dá poderes à Secretaria de Aviação Civil (SAC) para autorizar esses projetos.

"A execução será por conta e risco do empreendedor", disse o ministro-chefe da secretaria, Wagner Bittencourt. Para ele, isso ajudará a liberar os grandes aeroportos das capitais a voos regulares das companhias aéreas, transferindo a demanda dos jatinhos para os empreendimentos privados. "A aviação regular sempre prevalecerá sobre a aviação geral", afirmou o ministro.

Empresas como a JHSF, nas imediações de São Paulo, e a Andrade Gutierrez, nos arredores de Brasília, já apresentaram ao governo projetos de novos aeroportos para a aviação geral e aguardavam apenas o decreto presidencial para fazer o pedido formal de construi-los.

(Daniel Rittner, André Borges, Rafael Bitencourt e Thiago Resende | Valor)

http://www.valor.com.br/brasil/29476...#ixzz2FbZ9iVFk

pesquisadorbrazil Dec 20, 2012 3:10 PM

Nossa, pelo visto, Brasília vai ganhar o 2o aeroporto em plena Copa do Mundo nos arredores de Sobradinho. Eita, tem gente que começa com a letra Y do outro forum, que deve estar tendo crises de inveja.

MAMUTE Dec 20, 2012 3:12 PM

:previous::previous:Agora vai!!! Aleluia:worship::worship:

E em breve o terceiro, de cargas é claro:yes:

pesquisadorbrazil Dec 21, 2012 3:20 AM

Quote:

Originally Posted by MAMUTE (Post 5945357)
:previous::previous:Agora vai!!! Aleluia:worship::worship:

E em breve o terceiro, de cargas é claro:yes:

O aeroporto de Sobradinho está mais avançado, pois o terreno é particular, e dependia apenas da sanção presidencial. O aeroporto de Planaltina irá demorar mais.:tup:

pesquisadorbrazil Dec 21, 2012 8:01 PM

Algum forumer tinha visto essa tabela aqui... Muito interessante por sinal...

http://i1293.photobucket.com/albums/...ps7175a480.jpg

Fonte: http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/ex...te_leitura.pdf

MAMUTE Dec 21, 2012 8:36 PM

:previous: Então em menos de 20 anos seremos o segundo maior aeroporto do Brasil em Pax por ano, e com isso, seremos um Hub internacional também! uma coisa leva a outra:cheers:

pesquisadorbrazil Dec 21, 2012 11:38 PM

Quote:

Originally Posted by MAMUTE (Post 5947180)
:previous: Então em menos de 20 anos seremos o segundo maior aeroporto do Brasil em Pax por ano, e com isso, seremos um Hub internacional também! uma coisa leva a outra:cheers:

Isso fica aqui no forum, pois esses documentos não foram disponibilizados no outro forum.... :haha:

MAMUTE Dec 21, 2012 11:55 PM

:previous: Só aqui temos novidades exclusivas:cool:

HLbsb Dec 22, 2012 1:39 AM

Quote:

Originally Posted by pesquisadorbrazil (Post 5947148)
Algum forumer tinha visto essa tabela aqui... Muito interessante por sinal...

http://i1293.photobucket.com/albums/...ps7175a480.jpg

Fonte: http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/ex...te_leitura.pdf

Os dados estão bem desatualizados. Isso é de uma publicação de 2010, mas de lá pra cá tudo mudou, a começar pelas concessões. CNF, pelos valores informados ontem, chegará muito além dos 22 milhões de capacidade. O próprio valor para BSB já foi reduzido pela concessionária, mas pode vir a ser maior depois de 2030.

Essa tabela serve como registro histórico, mas já perdeu validade desde que a Dilma assumiu o governo e criou o Programa de investimento em logística. Quase todos os valores referentes a portos, aeroportos, rodovias e ferrovias citados na publicação estão desatualizados....

pesquisadorbrazil Dec 22, 2012 1:57 AM

Quote:

Originally Posted by HLbsb (Post 5947480)
Os dados estão bem desatualizados. Isso é de uma publicação de 2010, mas de lá pra cá tudo mudou, a começar pelas concessões. CNF, pelos valores informados ontem, chegará muito além dos 22 milhões de capacidade. O próprio valor para BSB já foi reduzido pela concessionária, mas pode vir a ser maior depois de 2030.

Essa tabela serve como registro histórico, mas já perdeu validade desde que a Dilma assumiu o governo e criou o Programa de investimento em logística. Quase todos os valores referentes a portos, aeroportos, rodovias e ferrovias citados na publicação estão desatualizados....

BSB vai ter 41 milhões de paxs. Claro, vai mudar muito, com a liberação de novos slots nos próximos meses, e isso poderá influir na capacidade. O mesmo se dará com a ida, em 2014, dos jatos executivos para Sobradinho, abrindo mais espaço para revisão do número e da capacidade do aeroporto.:tup:


All times are GMT. The time now is 11:37 AM.

Powered by vBulletin® Version 3.8.7
Copyright ©2000 - 2021, vBulletin Solutions, Inc.