SkyscraperPage Forum

SkyscraperPage Forum (https://skyscraperpage.com/forum//index.php)
-   Infraestrutura & Transporte (https://skyscraperpage.com/forum//forumdisplay.php?f=696)
-   -   Transporte por Trilhos Brasília | Movimentação no Setor (https://skyscraperpage.com/forum//showthread.php?t=194614)

MAMUTE Oct 16, 2011 9:26 PM

Transporte por Trilhos Brasília | Movimentação no Setor
 
Thread criado para discutirmos sobre: Metrô, VLT, Trêm urbano, linha férrea entre outros, relacionados com transporte por trilhos em Brasília...

MAMUTE Oct 16, 2011 9:34 PM

Esses dias li em varios meios de comunicação, que o governo federal vem liberando verbas para construção e ampliações de Metrô e Trens urbanos em varias cidades do Brasil, em Curitiba, Belo horizonte e Porto Alegre, alguem sabe se vai sobrar uma grana dessas para nóis aqui de Brasília, para concluir logo o Metrô até o final da asa norte, e os outros trechos restantes.

pesquisadorbrazil Oct 17, 2011 11:30 AM

Em Brasília não tem problemas com liberação de dinheiro, mas sim de vontade politica, ou esqueceram os quase meio bilhão que LULA liberou para o VLT? O Sec. de Transportes é frouxo, e vem com papinho que em 36 meses não entregaria o VLT do Aeroporto até a 502 norte com medo de deixar a Avenida W3 esburacada. JÁ ESTÁ ESBURACADA a tempos.

MAMUTE Oct 17, 2011 12:42 PM

Dilma anuncia investimento de R$ 30 bilhões em obras de transporte urbano

A presidenta Dilma Rousseff anunciou nesta segunda-feira (17) investimento de R$ 30 bilhões, pelo governo federal, em obras de mobilidade urbana. Segundo ela, o pacote vai incluir a construção de metrôs, corredores exclusivos para ônibus e veículos leves sobre trilhos (VLT).



“A população passa boa parte de seu tempo se deslocando entre a casa, o trabalho, a escola e outras atividades. Por isso, garantir um transporte público de qualidade, rápido, moderno, seguro e com preços acessíveis significa melhorar a vida de todas as pessoas”, disse.



No programa semanal Café com a Presidenta, Dilma lembrou que nas cidades brasileiras onde já há serviços de metrô, o transporte é reconhecido como rápido, moderno, com qualidade e conforto por diversas classes sociais. Apenas em Curitiba (PR), segundo ela, o metrô será responsável pelo transporte de cerca de 300 mil pessoas todos os dias.



Já em Belo Horizonte (MG), de acordo com a presidenta, a ideia é construir 11 terminais de integração de ônibus. A obra deve incluir sete municípios da região metropolitana. Em Porto Alegre (RS), serão oito corredores. Outra opção de transporte público são os trens urbanos, com previsão de construção em São Leopoldo e Novo Hamburgo, ambos no Rio Grande do Sul, e em outras 21 cidades.



“Cada vez mais brasileiros estão tendo oportunidade de comprar o seu próprio carro. É sinal que a renda da população está melhorando e o país continua crescendo. Comprar seu próprio carro significa também ter um transporte para os dias de lazer, para que você possa passear com a sua família. Mas a solução do transporte nas grandes cidades está no investimento no transporte público de qualidade. Sem isso, as cidades se transformam em um caos”, concluiu Dilma.






http://www.jornaldebrasilia.com.br/s....php?id=369993

emblazius Oct 17, 2011 1:13 PM

Agnelo ta sem culhão para romper com os carteleiros do DF. Ele e sua bancada governista vendida!!!

pesquisadorbrazil Oct 19, 2011 11:40 AM

Edital do VLT está quase pronto

O edital para as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) está em fase de conclusão, necessitando apenas a sua adequação às normas do Regime Diferenciado para a Copa (RDC). Sua publicação está prevista para os próximos dias.



As obras estão paradas desde abril, após a Justiça anular a primeira licitação. Como não será possível concluir todo o projeto antes da Copa do Mundo de 2014, o VLT será construído em etapas. Esta primeira, que será do Aeroporto de Brasília até o Terminal de Integração Sul (próximo ao Setor Policial), está orçada em R$ 400 milhões, a parte estrutural, mais 110 milhões para o material rodante (vagões).



Segundo o governador em exercício Tadeu Filippelli, o VLT vem para mudar e dar aos moradores de Brasília e da região metropolitana um transporte urbano de qualidade e confortável. “O serviço, infelizmente, ainda é muito angustiante no Distrito Federal”, disse ele.



Leia mais na edição desta quarta-feira (19) do Jornal de Brasília.



Fonte: Da redação do clicabrasilia.com.br

Fonte: http://www.clicabrasilia.com.br/site...php?id=370423&

MAMUTE Oct 19, 2011 11:47 AM

:previous:Eu estou curioso para saber, se o pacotão do governo federal de 30 Bi vai ter algum repasse para o GDF investir no VLT e no Metrô, e de quanto será???

pesquisadorbrazil Oct 19, 2011 11:48 AM

Muita sacanagem, prometeram tudo, e agora vai licitar a parte do aeroporto até o terminal sul do metrô, eu quero ver os turistas descendo até a rodoviária com suas malinhas. Nem falem do metrô no SCN, se o VLT sequer vai chegar na 502 norte em 2014, pior, o metrô.

pesquisadorbrazil Oct 19, 2011 11:49 AM

Quote:

Originally Posted by MAMUTE (Post 5449246)
:previous:Eu estou curioso para saber, se o pacotão do governo federal de 30 Bi vai ter algum repasse para o GDF investir no VLT e no Metrô, e de quanto será???

No PAC estava a expansão do Metrô e a construção do VLT.:whip:

MAMUTE Oct 19, 2011 12:02 PM

Só pra reitera
 
VLT será lançado ainda nesta semana


Durante a abertura do Jornada Brasília +50, seminário internacional sobre mobilidade sustentável, o governador em exercício Tadeu Filippelli anunciou que um dos projetos que integram o sistema de transporte urbano do DF, o Veículo Leve sobre Trilhos deverá ser publicado ainda esta semana. “Já fizemos o edital, entretanto somente no dia 11 de outubro saiu a regulamentação do regime diferenciado de licitação pras obras da Copa do Mundo. Já que neste primeiro momento o VLT é destinado para o mundial. Agora, o estamos adequando para publicá-lo”, afirmou Filippelli. O VLT será feito em mais de uma etapa, para esta primeira está estimado um investimento de R$ 440 milhões.


http://www.maiscomunidade.com/imagem.../PNUImagem.jpg
Filippeli falou sobre o VLT durante a abertura do Jornada Brasília +50

Tadeu Filippelli avaliou a importância de todas as iniciativas que buscam debater problemas de Brasília. Este, relacionado ao transporte urbano, em particular, segundo o governador em exercício, terá grande contribuição. “Hoje, temos o sistema de transporte público do DF com uma das situações mais agoniantes”, explicou. Ele pontuou ainda outras medidas que estão sendo tomadas no segmento, como exemplo, a implantação, pela primeira vez no DF, de um Plano Diretor de Transporte Urbano. Filippelli lembrou ainda a participação da capital federal no Programa Mobilidade nas Grande Cidades, proposto pelo Governo Federal. Estas, entre outras, segundo ele, fazem parte de um conjunto de iniciativas, que a longo prazo serão percebidas pela população.







http://www.maiscomunidade.com/conteu...-SEMANA.pnhtml

pesquisadorbrazil Oct 19, 2011 12:07 PM

Quote:

Originally Posted by MAMUTE (Post 5449257)
VLT será lançado ainda nesta semana


Durante a abertura do Jornada Brasília +50, seminário internacional sobre mobilidade sustentável, o governador em exercício Tadeu Filippelli anunciou que um dos projetos que integram o sistema de transporte urbano do DF, o Veículo Leve sobre Trilhos deverá ser publicado ainda esta semana. “Já fizemos o edital, entretanto somente no dia 11 de outubro saiu a regulamentação do regime diferenciado de licitação pras obras da Copa do Mundo. Já que neste primeiro momento o VLT é destinado para o mundial. Agora, o estamos adequando para publicá-lo”, afirmou Filippelli. O VLT será feito em mais de uma etapa, para esta primeira está estimado um investimento de R$ 440 milhões.


http://www.maiscomunidade.com/imagem.../PNUImagem.jpg
Filippeli falou sobre o VLT durante a abertura do Jornada Brasília +50

Tadeu Filippelli avaliou a importância de todas as iniciativas que buscam debater problemas de Brasília. Este, relacionado ao transporte urbano, em particular, segundo o governador em exercício, terá grande contribuição. “Hoje, temos o sistema de transporte público do DF com uma das situações mais agoniantes”, explicou. Ele pontuou ainda outras medidas que estão sendo tomadas no segmento, como exemplo, a implantação, pela primeira vez no DF, de um Plano Diretor de Transporte Urbano. Filippelli lembrou ainda a participação da capital federal no Programa Mobilidade nas Grande Cidades, proposto pelo Governo Federal. Estas, entre outras, segundo ele, fazem parte de um conjunto de iniciativas, que a longo prazo serão percebidas pela população.







http://www.maiscomunidade.com/conteu...-SEMANA.pnhtml

Sinceramente esse governo perdeu a credibilidade. E pior, eu quero ver, quando licitar e não ter participantes, o que irão fazer, comprar 1200 ônibus para substituir o vlt:hell:

Espartano_bsb Oct 20, 2011 12:26 PM

Quote:

Originally Posted by pesquisadorbrazil (Post 5449248)
Muita sacanagem, prometeram tudo, e agora vai licitar a parte do aeroporto até o terminal sul do metrô, eu quero ver os turistas descendo até a rodoviária com suas malinhas. Nem falem do metrô no SCN, se o VLT sequer vai chegar na 502 norte em 2014, pior, o metrô.

Não estou nem aí para os turistas de Copa do Mundo... Quero apenas que o transporte público da cidade melhore um pouco para quem paga seus impostos e aqui reside.. Mas infelizmente esse negócio de ligar o aeroporto ao metrô não vai resolver NADA! Sem a linha da W3, é um projeto que já nasce com sérios riscos de virar mico!

Similar Oct 20, 2011 1:01 PM

Já eu acho que a prioridade deveria ser toda para a expansão do metrô e a implantação dos corredores de ônibus articulados.

Mas como as coisas são lentas aqui, meu Deus! E não é falta de dinheiro!

pesquisadorbrazil Oct 24, 2011 11:59 AM

Quote:

Originally Posted by Espartano_bsb (Post 5450815)
Não estou nem aí para os turistas de Copa do Mundo... Quero apenas que o transporte público da cidade melhore um pouco para quem paga seus impostos e aqui reside.. Mas infelizmente esse negócio de ligar o aeroporto ao metrô não vai resolver NADA! Sem a linha da W3, é um projeto que já nasce com sérios riscos de virar mico!

Concordo contigo, mas eu vejo uma coisa em Brasília, tem gente que tem seu CARRO, que não se importa com o COLETIVO. Igual um colunista da Octogonal. Pra ele, 1 mil ônibus poluentes vão ficar uma beleza na avenida W3 em vez do VLT, pois ele está com remorso de derrubar as arvores semi-mortas da avenida. Se colocar 1 mil ônibus na avenida, vai ser o tiro de misericórdia que a região precisa para virar um mico mesmo.:slob:

TherealdealDF Oct 25, 2011 4:05 PM

Quote:

Originally Posted by pesquisadorbrazil (Post 5454668)
Concordo contigo, mas eu vejo uma coisa em Brasília, tem gente que tem seu CARRO, que não se importa com o COLETIVO. Igual um colunista da Octogonal. Pra ele, 1 mil ônibus poluentes vão ficar uma beleza na avenida W3 em vez do VLT, pois ele está com remorso de derrubar as arvores semi-mortas da avenida. Se colocar 1 mil ônibus na avenida, vai ser o tiro de misericórdia que a região precisa para virar um mico mesmo.:slob:

Assino embaixo. Inclusive o asfalto da W3 está uma vergonha. Na faixa em que circulam os ônibus, o asfalto está completamente deformado. Imagina com mais 1 mil ônibus! E o edital do VLT, alguém tem alguma notícia?

MAMUTE Oct 29, 2011 11:47 PM

Governo implantará VLT em toda Avenida W3


O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, decidiu que tentará levar o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) a toda extensão da Avenida W3 Sul antes da Copa do Mundo de 2014, segundo informações do colunista do Jornal de Brasília Cláudio Humberto.



Seu governo já teria os recursos (mais de US$ 300 milhões) para a primeira fase, que liga o aeroporto da Capital ao final da W3 Sul, mas tão logo se inicie, vai viabilizar o restante do trecho. O VLT é considerado essencial à mobilidade urbana de Brasília.





http://www.jornaldebrasilia.com.br/s...372344&secao=N

pesquisadorbrazil Oct 30, 2011 2:33 PM

Me desculpe, estive lendo os comentários em certos jornais, chega a ser patética a oposição ao VLT. Hora dizem que ferem o tombamento, hora dizem que vão derrubar as arvores, hora dizem que ninguem vai utilizar o VLT, hora dizem que vai tirar dinheiro da saúde, educação e segurança. Patéticos opositores. Simplesmente se eu fosse governador, alem de implantar o VLT, eu implantaria estacionamento rotativo, pedágio urbano, rodizio, e por ai vai.

Foi igual o quebra pau que os estudantes fizeram para aprovar as passagens de graça. Cadê eles? fiquei sabendo que nem usam o transporte urbano e pior, utilizam os carros para transitar.

É igual a falácia de ciclistas, eu quero ver o GDF implantar os 600 km de ciclovias e elas ficarem as moscas. Eu vou querer ver as desculpas... Eu já tenho algumas na ponta da lingua.

Não tem segurança, pois os ciclistas vão querer um PM a cada 500 metros, não tem iluminação, não tem arvores, não tem banheiros, não tem bebedouros, não tem orelhão, não tem internet de graça ao longo das ciclovias e por ai vai.

É igual exigir passarelas e depois elas ficarem de enfeite.

Espartano_bsb Oct 30, 2011 5:11 PM

Mais um da série 'eu só acredito vendo...'

salengasss Oct 30, 2011 5:25 PM

Esse VLT tá ridículo... demorado demais. Só conversa jogada fora!

Jota Oct 31, 2011 12:18 AM

Quote:

Originally Posted by salengasss (Post 5461732)
Esse VLT tá ridículo... demorado demais. Só conversa jogada fora!

Culpe o Arruda e suas licitações alopradas.... Arrudão caiu antes de ver todas as suas obras embargadas.

MAMUTE Nov 22, 2011 7:50 PM

Alguem já viu esse plano de expansão da malha ferroviária para 2012...


http://www.agenciat1.com.br/wp-conte...o-da-malha.jpg


PPA 2012-2015: União quer expandir em 4.546 km a malha ferroviária

Os detalhes contidos no Plano Plurianual 2012-2015, recém-enviado ao Congresso, revelam metas setoriais do governo que ainda são total ou parcialmente desconhecidas do mercado.

O plano expõe a intenção da presidente Dilma Rousseff de fazer, nos próximos quatro anos, duas rodadas de licitações em áreas do pré-sal com o novo regime de partilha e sete leilões em bacias maduras e em campos marginais.

Na infraestrutura, o compromisso é conceder 2.234 quilômetros de rodovias federais à iniciativa privada e expandir em 4.546 quilômetros a malha ferroviária nacional, além de duplicar a capacidade dos aeroportos, tanto para passageiros quanto para movimentação de cargas.

No PPA, o governo não trata apenas de traçar as perspectivas de investimentos na economia e de ações individuais dos ministérios dos próximos quatro anos, mas também estipula metas ousadas para o saneamento das contas públicas.

Uma delas inclui o equilíbrio atuarial dos regimes próprios de Previdência Social dos Estados e municípios - fonte, hoje, de larga diferença entre os recursos que entram, via contribuições dos servidores na ativa, e o dinheiro que sai, em forma de aposentadorias e pensões.

O governo também se propõe a regulamentar o Projeto de Lei 1.992/07, que cria a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal (Funpresp), atualmente em tramitação na Câmara, que serviria para reduzir o déficit dos servidores federais, que neste ano deve atingir pouco mais de R$ 57 bilhões.



Na área de indústria e comércio, o governo assume a meta de internacionalizar 30 empresas do setor manufatureiro e de aumentar, de US$ 32,5 bilhões para US$ 68,4 bilhões, o valor exportado anualmente por companhias apoiadas pela Apex.

Também promete, na tentativa de resolver a crônica escassez de financiamento das micros e pequenas empresas, ampliar de R$ 5 bilhões para R$ 21,2 bilhões a oferta de crédito do BNDES ao conjunto de firmas que mais cria postos de trabalho na economia.

O plano 2012-2015 está dividido em 45 programas temáticos, com 491 objetivos e 2.503 iniciativas. Ele foi enviado ao Congresso no fim de agosto e poderá receber emendas durante sua tramitação.

Ao definir o “plano geral de voo” dos próximos três anos do governo Dilma e do primeiro ano do governo seguinte, prevê investimentos totais de R$ 5,4 trilhões no período, montante 38% maior que o PPA anterior.

A principal diferença em relação aos planos anteriores é que o foco sai de “tecnicalidades orçamentárias” para se concentrar nos resultados das chamadas “agendas transversais”, diz a secretária de Planejamento e Investimentos Estratégicos, Maria Lúcia Falcón, que coordena o PPA no Ministério do Planejamento. “Com as metas, fica mais fácil para qualquer cidadão identificar ações que, muitas vezes, atravessam vários ministérios.”

Para ilustrar, Lúcia abre um dos três volumes de acompanhamento do plano 2007-2011, com 1.381 páginas. O livro contém centenas de tabelas com a execução orçamentária de autarquias e de empresas estatais, mas é praticamente impossível saber a real situação dos programas definidos pelo governo como prioritários. “Hoje, as avaliações do PPA não permitem observar os resultados finais”, lamenta a secretária. “É o que resolvemos mudar.”

Lúcia assegura que mudará ainda a forma de monitoramento. “Nos planos anteriores houve muita participação da sociedade civil na elaboração, mas não no acompanhamento”, ressalta.

Para corrigir isso, estão programadas reuniões periódicas de prestação de contas, como o 2º Fórum de Conselhos Nacionais, em 13 de outubro.

São 34 entidades, integradas por representantes da sociedade, como o Conselho de Meio Ambiente (Conama), o de saúde e o de educação.

Isso garante, na visão da secretária, cobranças para o aperfeiçoamento das ações oficiais e mesmo para a correção de rumos. “Não adianta fazer alguma coisa chapa-branca”, afirma.

Ao detalhar os planos do governo para o próximo quadriênio, com base em consultas a todos os órgãos da administração pública federal, o PPA se tornou também o mais amplo guia para potenciais investidores no país.

Um dos exemplos está na aviação civil, há oito anos seguidos com crescimento de dois dígitos, que se prepara para uma onda de investimentos privados na concessão de aeroportos.

O plano do governo é dar à rede aeroportuária, em 2015, capacidade para receber 305 milhões de passageiros - no ano passado, passaram 155 milhões de passageiros pelos 66 terminais da Infraero.

O número de localidades atendidas por rotas aéreas comerciais deverá aumentar de 130 para 150. Já a quantidade de assentos oferecidos em voos internacionais subirá dos atuais 9,8 milhões para 15,2 milhões. Para atender a essa demanda, será necessário formar 1.900 pilotos em quatro anos.

Para chegar a esses resultados, o governo promete um “plano de incentivos” para a aviação regional, a revisão dos acordos bilaterais que definem o número de voos permitidos para outros países, medidas de “estímulo à concorrência” entre empresas e a “efetivação de mecanismos de financiamento de aeronaves”.

Há um compromisso claro de retomar as concessões de estradas federais, em ritmo lento desde a entrega para a administração privada de rodovias como a Fernão Dias (São Paulo-Belo Horizonte) e Régis Bittencourt (São Paulo-Curitiba), em 2007.


http://www.agenciat1.com.br/wp-conte...02-ppa-a41.jpg

Com a alegação de “propiciar mais segurança e qualidade no deslocamento”, três trechos serão concedidos: a BR-040, de Brasília a Juiz de Fora, com 956 quilômetros; o trecho capixaba da BR-101, com os 461 quilômetros entre a divisa com o Rio de Janeiro e a divisa com a Bahia; e os 817 quilômetros da BR-116 em Minas Gerais.

Se tudo o que está no plano plurianual realmente sair do papel, a malha rodoviária ficará mais segura e controlada. Está prevista a instalação de 2.696 radares de velocidade nas estradas, além de 220 equipamentos de medição de peso.

Hoje, grande parte das balanças para caminhões está quebrada e não impede que veículos com excesso de peso trafeguem pelas rodovias, acelerando a deterioração do pavimento e transformando os contratos de manutenção da malha em um eterno “tapa-buraco”.

Para fortalecer a indústria naval, o governo pretende destinar R$ 14 bilhões do Fundo de Marinha Mercante (FMM) para “fomentar a contratação de embarcações”, além de incentivar a construção de nove estaleiros.









http://www.agenciat1.com.br/14421-at...s-e-o-pre-sal/

MAMUTE Nov 23, 2011 1:29 AM

Metrô passa por manutenção no DF


VIDEO

http://g1.globo.com/videos/distrito-...ia%20DF/page/1

ccv Nov 23, 2011 12:43 PM

VLT
Prejuízo com obra parada

FOTOS: GEYZON LENIN

Paralisada há mais de um ano e sem proteção, estrutura está sendo danificada
_ Kamila Farias
kamila.farias @jornaldebrasilia.com.br

Aobra do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) tem causado incômodo, há mais de um ano, aos motoristas e pedestres que passam pelo final da W3 Sul, em frente ao Setor Policial. Isso porque a obra orçada em R$ 1,5 bilhão praticamente nem saiu do papel. A escavação no local provocou desvios de caminhos e no local há pouca sinalização e má iluminação. “No início da construção, existiam uns cones de iluminação que identificavam bem o caminho para os motoristas. Agora, não tem sinalização correta e quem não conhece pode sofrer algum acidente”, reclama o estudante Diogo Heleno, 21 anos. De acordo com o estudante, o mesmo descaso acontece com a garagem do VLT, no Setor Policial. “Lá tem uma estrutura que está estragando, uma grande quantidade de aço e de madeira. Está gastando o meu dinheiro e o de todo mundo e não estão fazendo nada”, reclama.

LICITAÇÃO
Ele diz que ao ligar para o número 156, do Governo do Distrito Federal, foi informado que a obra está parada por questão de licitação. “Entendo que a licitação estava com problemas, mas devido a isso eles vão deixar tudo largado? Lá tem material estragando e focos de mosquitos da dengue. O mínimo que eles poderiam fazer é limpar o local e identificar direito, pois assim diminui o risco de acidentes”, opina o estudante. A obra do VLT está sob responsabilidade do Metrô, que afirma que uma nova licitação está sendo preparada. “As obras foram paradas pela Justiça, que encontrou irregularidades nos contratos e anulou as licitações. O Metrô já está trabalhando em uma nova”, explica, por meio da Assessoria de Comunicação. “A obra da W3 Sul não é do Metrô. Não sabemos se as obras recomeçarão do mesmo ponto, vai depender da determinação da Justiça”, esclarece a assessoria do Metrô.

SEM DATA
Ainda sem data para início da nova licitação, o principal projeto para melhorar a mobilidade urbana em Brasília para a Copa de 2014 segue indefinido. O VLT fará a ligação do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek ao final da Asa Norte. O percurso terá 22,6 quilômetros e 25 estações. Nos trechos de ligarão o Terminal Asa Sul e o Terminal Asa Norte, pela W3 (trechos 2 e 3), o Metrô Leve de Brasília trafegará pelo canteiro central e as três faixas de rolamento existentes nos dois sentidos da via serão mantidas. No trecho em que a linha cruzará o Eixo Monumental, o fornecimento de energia será pelo solo. A estimativa é que, em operação, o VLT atenda 12 mil pessoas por dia. O veículo será silencioso, terá amplas janelas, climatização, comunicação com o piloto, piso no mesmo nível da plataforma, capacidade de tráfego sob superfície gramada, convívio trem-automóvel-pedestre com segurança, controle operacional e adequação ao trânsito. Atualmente, circulam quase oito ônibus por minuto pela W3, num total de 453 por hora, transportando cerca de 110 mil passageiros por dia. A pretensão é fazer com que o VLT promova uma redução no número de carros na W3, estimada em 30%. A redução dos ônibus na região beneficiará o meio ambiente, pois o VLT usa é movido a energia elétrica.

Já consumiu R$ 20 milhões
A primeira etapa da obra do VLT, entre o terminal Asa Sul e a 502 Norte, estava orçada em R$ 780 milhões e teria metade do custo financiado pela Agência Francesa de Desenvolvimento. Para os outros 50%, o GDF investiria R$ 25 milhões e receberia R$ 27 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Os R$ 338 milhões restantes seriam negociados com o Banco Interamericano de Desenvolvimento e com bancos nacionais e estrangeiros. A obra já custou R$ 20 milhões aos cofres públicos e começou em dezembro de 2009, mas relatório feito pelo Tribunal de Contas da União mostrou que, até novembro de 2010, apenas 2% foi realizado. No entanto, o valor pode ser ainda maior. De acordo com Dickran Berberian, professor do Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Brasília (UnB), o valor deve aumentar com pagamento de trabalho em feriados e finais de semana para compensar a paralisação.

CORROSÃO
“A correria para entregar encarece. Além disso, deve-se ter cuidado com os materiais. Se não forem protegidos, podem danificar e, consequentemente, terem de ser substituídos”. O professor explica que o aço sofre corrosão e, se for usado, pode rachar o concreto, gerando assim, mais problemas e gastos no futuro. “As madeiras também incham e pegam fogo. Se danificadas, gera problema no escoramento que, se enfraquecido, pode desabar”, alerta. Berberian alerta também para cuidados com o material hidráulico. “Não pode cair sujeira para não entupir a rede de esgoto. Se o PVC ficar no sol, com o tempo, entrará em decomposição”, informa. Outras questões apontadas são a iluminação e questão trabalhista. “Fios expostos ao sol ressecam e dão curto-circuito. Quanto aos trabalhadores, se paralisar a obra, têm de ser pagos os direitos. Em todo o processo gasta-se mais. Se começar tem de terminar para não gerar mais prejuízo.”

Fonte:http://www.jornaldebrasilia.com.br/e...nal/pdf/09.pdf

MAMUTE Nov 30, 2011 1:37 AM

Tarifa de metrô no Brasil é a mais cara do mundo



Brasília lidera ranking, seguida por Rio e São Paulo; tamanho da malha piora a avaliação



Usar metrô no Brasil pesa mais no bolso do que em qualquer outro lugar no mundo, segundo estudo do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec).

Foi pesquisado o impacto das tarifas de metrô em 19 grandes cidades em relação ao salário mínimo local, sempre considerando a menor tarifa disponível.

As quatro primeiras cidades do ranking são brasileiras. A capital federal lidera, com a tarifa de adulto por R$ 3. Ao final do mês, o trabalhador que ganha salário mínimo desembolsa 22% da sua renda com o transporte.

Em seguida aparece o Rio de Janeiro, onde a tarifa é de R$ 3,10, mas o salário é um pouco maior, e esse gasto representa 20,4% no fim do mês. Em São Paulo a proporção é de 19% da renda e, em Belo Horizonte, 13%.

A avaliação é ainda pior quando considerado o tamanho da malha. A capital paulista, por exemplo, tem 74,3 km de metrô, muito menos do que Paris, que tem 213 km e onde o gasto é de 4,82%.

O balanço que o Idec faz é que os preços de metrô pagos no Brasil são muito elevados, considerando o poder aquisitivo e a baixa extensão das linhas. "É caro e ineficiente se comparado a outras cidades", disse a "O Estado de S.Paulo" Adriana Charoux, coordenadora do estudo.

Veja o custo do metrô pelo mundo


http://www.destakjornal.com.br/image...29/3625680.jpg
Passageiros esperam por metrô em Brasília: gasto seria de 22% da renda em relação ao salário











http://www.destakjornal.com.br/readC...6&id=14,118006

MAMUTE Nov 30, 2011 10:59 AM

:previous:Uma materia mais completa...


Metrô de Brasília é o mais caro do mundo, mostra pesquisa do Idec


Tarifa cobrada no DF consome 22% do salário mínimo de uma pessoa que usa o trem para ir e voltar do trabalho todos os dias. É o maior gasto entre 19 cidades pesquisadas pelo Idec


Andar de metrô em Brasília está mais caro do que em Londres, Paris e Nova York. Com uma população de mais de 2,5 milhões de pessoas, a capital federal lidera o ranking de preço alto entre 19 grandes cidades de todo o mundo em relação ao salário mínimo local, segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Durante 20 dias úteis, a tarifa de R$ 3 no Distrito Federal consome por mês 22,02% do salário mínimo de R$ 545. Para chegar ao resultado, foram analisadas seis cidades brasileiras e 13 estrangeiras.

O Rio de Janeiro, segundo no ranking, tem uma tarifa de R$ 3,10, o que compromete 20,43% de uma renda mínima mensal de R$ 607. Em seguida vem São Paulo, que cobra R$ 2,90 a passagem e consome 19,02% do piso paulista de R$ 610. Em Belo Horizonte, com a tarifa de R$ 1,80, o gasto mensal com metrô corresponde a 13,21% do piso nacional pago ao trabalhador. Nesse ranking do Idec, Recife e Fortaleza ficaram, respectivamente, em 8ª e 14ª posição. Nova York, Londres e Paris, estão, pela ordem, em 11º, 12º e 17º lugares. Caracas tem a menor tarifa. O trabalhador venezuelano, com renda mensal de R$ 848,34, gasta 1,95% do salário com metrô.

No Distrito Federal, diariamente passam 135 mil pessoas pelas 24 estações do metrô. Somados os dois dias do fim de semana (sábado e domingo), o número de usuários é o mesmo. O diretor Comercial e Financeiro, Nilson Martorelli, que responde pela presidência do Metrô-DF, discorda do resultado da pesquisa realizada pelo Idec. Para ele, qualquer comparação realizada com Brasília colocará a cidade como a mais cara. “Não podemos utilizar como parâmetro o salário mínimo. Na Europa, ele custa, em média, entre R$ 14 e R$ 16 por hora. Em Brasília, é R$ 2,48 a hora, e a capital tem a renda per capta mais alta do país. Se compararmos isso, a tarifa daqui é a mais barata”, avalia.

Martorelli pondera que a idade do metrô também influencia o valor da tarifa. “O mais novo é o de Brasília, com 10 anos. Os de São Paulo e do Rio de Janeiro têm 30 anos. Na Europa, ele é centenário. O metrô do DF está crescendo e nossa meta é melhorar cada vez mais e oferecer um transporte de qualidade.”

http://imgsapp2.correiobraziliense.c...742174421o.jpg


Preços
A tarifa do metrô no Distrito Federal é definida pelo governo local. Martorelli lembra que o último reajuste foi em 2006, quando o valor passou de R$ 2 para R$ 3, um aumento de 50%. Segundo ele, se o cálculo técnico fosse analisado e a passagem não fosse subsidiada, o custo da passagem seria muito maior. “O GDF estipula um valor coerente com a evolução do salário do brasiliense. A tarifa hoje ultrapassaria os R$ 3 devido aos custos operacionais, mas a população não suportaria, então o governo arca com o restante”, explica.Com 42,38km de extensão, o metrô atende apenas parte do DF, que inclui Asa Sul, Epia, Guará, Águas Claras, Taguatinga, Ceilândia e Samambaia.

O preço do bilhete é criticado pelos usuários. O agente de segurança Francisco de Assis de Sousa Guedes, 44 anos, mora em Sobradinho e leva mais de cinco horas para ir e voltar ao trabalho. Ele também concorda que o preço poderia ser mais baixo. “Eu tenho vale-transporte, mas se o preço fosse diferente, meu salário seria maior. Faz diferença na hora de colocar a comida na mesa, na hora do lazer”, diz Francisco, que é casado e tem três filhos.







http://www.correiobraziliense.com.br...-do-idec.shtml

Jota Nov 30, 2011 2:38 PM

:previous: Que titulo de reportagem imbecil, o metrô de Brasília, não é "o mais caro do mundo", como os proprios dados da reportagem mostram. As vezes uma noticia inteira se perde em uma chamada idiota como essa.

PauloSilvaBH Dec 1, 2011 12:09 AM

^^
Olá Jota Ferro, sabe quem sou eu ? :)
--------------------------------------------
E sobre o VLT, eu acho que combina muito com Brasília. Deixará a cidade mais sofisticada.

PauloSilvaBH Dec 1, 2011 12:14 AM

Jota Ferro, ninguém disse que o metrô de Brasília era o mais caro do mundo, isso foi apenas uma pesquisa feita com algumas cidades selecionadas. Tenho quase certeza que se colocassem cidades indianas ou algumas chinesas, Brasília não estaria nem entre as 5 primeiras cidades.

MAMUTE Dec 1, 2011 12:39 AM

:previous:Seja bem vindo:cheers:
Sinta-se em casa:)

pesquisadorbrazil Dec 1, 2011 1:05 PM

Que beleza, o forum está começando a bombar, e seja bem vindo, e que venha somar esforços para que esse forum fique mais popular do que o SSC.

PauloSilvaBH Dec 1, 2011 2:21 PM

:previous:
Obrigado pessoal ! As coisas no SSC são muito difíceis... os moderadores lá são verdadeiros valentões com poderes nas mãos.
Mas pretendo contribuir muito para esse fórum !

Jota Dec 1, 2011 3:13 PM

Quote:

Originally Posted by PauloSilvaBH (Post 5499596)
Jota Ferro, ninguém disse que o metrô de Brasília era o mais caro do mundo, isso foi apenas uma pesquisa feita com algumas cidades selecionadas. Tenho quase certeza que se colocassem cidades indianas ou algumas chinesas, Brasília não estaria nem entre as 5 primeiras cidades.

Seja bem vindo, puxe uma cadeira e senta ai.

Mas vc continua lendo as coisa pela metade. Como assim ninguem "diz que o metrô de brasília é o mais caro???" Vc leu o titulo da reportagem?

Metrô de Brasília é o mais caro do mundo, mostra pesquisa do Idec.

Estou falando apenas do titulo.

E cara vc ta usando a mesma foto e nome, como assim, sabe quem sou eu? :D :haha: :haha:

PauloSilvaBH Dec 1, 2011 3:28 PM

:previous:
KKKKKKKKK... queria ver se você me conhecia mesmo.
Ah ta, é que eu fiquei mais preocupado em ver o ranking e a reportagem, do que o título... desculpe-me ! Bom, quanto a isso, eu ainda discordo totalmente. Então quer dizer que o metrô de Belo Horizonte é o 4º mais caro do mundo ?
E outra coisa, os metrôs de Brasília são os mais caros do mundo, dentre estas cidades citadas no ranking ou no geral ?

Jota Dec 1, 2011 3:37 PM

Quote:

Originally Posted by PauloSilvaBH (Post 5500301)
:previous:
KKKKKKKKK... queria ver se você me conhecia mesmo.
Ah ta, é que eu fiquei mais preocupado em ver o ranking e a reportagem, do que o título... desculpe-me ! Bom, quanto a isso, eu ainda discordo totalmente. Então quer dizer que o metrô de Belo Horizonte é o 4º mais caro do mundo ?
E outra coisa, os metrôs de Brasília são os mais caros do mundo, dentre estas cidades citadas no ranking ou no geral ?

Pois é, o titulo da reportagem diz uma coisa e a reportagem explica outra, talvez se pudesse dizer que o metrô de Brasília é, relativamente ao salario minimo, o mais caro.

Mas é estranho que o de Buenos Aires seja tão mais barato que o brasileiro....

MAMUTE Dec 2, 2011 3:08 AM

Justiça cancela licitação para obra do VLT de Brasília



Os desembargadores da 1ª. Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal cancelaram hoje, por fraude, todo o processo de licitação para as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de Brasília.

De acordo com a decisão, ocorreram fraudes desde o início do processo, quando empresas teriam simulado uma situação de concorrência. Segundo o tribunal, a licitação tinha vícios insanáveis e empresas teriam feito um conluio, iniciado em 2002, para fraudar o processo.


Os desembargadores rejeitaram um recurso que contestava decisão judicial anterior, da 7a. Vara da Fazenda Pública, que já tinha sido contrária à licitação.


A apresentação do projeto do VLT em 2009 foi muito comemorada em Brasília. Até o presidente da França, Nicolas Sarkozy, participou da cerimônia. Na ocasião, ele foi fotografado ao lado do então governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda.






http://www.jornaldebrasilia.com.br/s....php?id=378266

salengasss Dec 2, 2011 11:50 AM

Mas Jota Ferro, o título da reportagem faz sentido sim.

Para àqueles que ganham o salário mínimo, em suas respectivas cidades, o metrô de BSB se torna o mais caro, devido a quilometragem percorrida e a comparação com o salário mínimo. É preciso notar que eles estão atentos à extensão do metrô, não apenas ao preço da passagem.

Certo assim, fiote?????? :)

Jota Dec 2, 2011 2:50 PM

Quote:

Originally Posted by salengasss (Post 5501580)
Mas Jota Ferro, o título da reportagem faz sentido sim.

Para àqueles que ganham o salário mínimo, em suas respectivas cidades, o metrô de BSB se torna o mais caro, devido a quilometragem percorrida e a comparação com o salário mínimo. É preciso notar que eles estão atentos à extensão do metrô, não apenas ao preço da passagem.

Certo assim, fiote?????? :)

Ate concordaria em usar o salario minímo como parametro de comparação, o problema é que o titulo da reportagem da a impressão que o metrô em o mais caro do mundo em valores absolutos e não relativos.

O Titulo poderia ser: O metrô de Brasília é o que custa mais caro para a população. Pronto, estaria relativisado o preço.

Mas discordo desta mania de usar a salario minimo como parametro para dizer se algo é barato ou caro, pois no calculo dos custos de um produto o salario é apenas um componente. O valor muito baixo do salario minímo brasileiro tornaria tudo caro (embora tudo seja caro mesmo no Brasil).

Se olharmos os valores apresentados na propria reportagem, vemos que o metro de Brasília tem um valor médio de passagem, e que a população brasileira tem um salario muito baixo.

HLbsb Dec 2, 2011 8:29 PM

Quote:

Originally Posted by MAMUTE (Post 5498431)
:previous:Uma materia mais completa...


Metrô de Brasília é o mais caro do mundo, mostra pesquisa do Idec


Tarifa cobrada no DF consome 22% do salário mínimo de uma pessoa que usa o trem para ir e voltar do trabalho todos os dias. É o maior gasto entre 19 cidades pesquisadas pelo Idec


Fail!

Numa amostragem de 19 cidades não se pode afirmar muita coisa, menos ainda que é o mais caro do mundo.

Aí observamos a metodologia e vemos que a classificação da pesquisa é totalmente non sense. Está certo que alguns estados publicam leis, anualmente, com um salário mínimo minimamente maior do que o salário mínimo federal, o que justifica o metro do Rio, sendo mais caro, consumir menor percentual da renda.

Mas aí a pesquisa peca totalmente em considerar o valor legal do salário mínimo como sendo a renda mínima. É só entrar no IBGE pra ver o percentual de brasileiros que ganham menos de um salário mínimo. Essa pesquisa é simplesmente inútil! Não diz nada e serve apenas para ilustrar folhas de jornais:whip:

Espartano_bsb Dec 4, 2011 5:45 PM

Já perdi as esperanças em relação ao Metrô-DF!

MAMUTE Dec 7, 2011 10:51 AM

Funcionários do metrô organizam assembleia com indicativo de greve


Os metroviários do Distrito Federal vão se reunir nesta quarta-feira (7) às 20h na Estação Águas Claras para uma assembleia com indicativo de greve da categoria. Os profissionais alegam que a Companhia Metropolitana do Distrito Federal (Metrô-DF), não está cumprindo a negociação da data-base. Além disso, os funcionários cobram respeito ao fechamento do Acordo Coletivo de Trabalho de 2011.




Em nota, o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários do DF (Sindmetrô/DF ) afirmou que se o governo se manter inflexível os trabalhadores vão entrar em greve no dia 12 de dezembro.












http://www.jornaldebrasilia.com.br/s...378991&secao=N

salengasss Dec 7, 2011 11:30 AM

O Metrô e o Detran vão entrar de greve. Eu aguento isso????

luizwagner Dec 7, 2011 3:04 PM

Quote:

Originally Posted by salengasss (Post 5507707)
O Metrô e o Detran vão entrar de greve. Eu aguento isso????

Pessoal tá doido por uma folguinha no final do ano..

MAMUTE Dec 8, 2011 2:10 AM

Agora é fato!!!

_____________________________________________


Metroviários decidem entrar em greve a partir de segunda-feira


Os metroviários decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira (12/12). Depois de assembléia da categoria realizada na noite desta quarta-feira (7/12), a classe resolveu cruzar os braços e apenas 30% da frota e dos funcionários vão operar da semana que vem em diante.

De acordo com coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários do DF (SINDMETRÔ/DF), Israel Almeida, a categoria não obteve nenhum tipo de resposta da diretoria do metrô durante as reivindicações. "Não houve acordo em nenhuma das nossas propostas", disse.

Almeida informou ainda que no domingo, às 20h30, a classe volta a se reunir para uma nova assembléia. Caso haja alguma resposta por parte do governo, a greve será abolida.

Reivindicações

Os metroviários reivindicam que a negociação da data-base da categoria não está sendo respeitada e que o fechamento do Acordo Coletivo de Trabalho de 2011 não foi concluído. Os funcionários também reclamam da falta de manutenção das estações, trens e túneis e do preço da tarifa.

Segundo eles, foi feito um acordo com o Governo do DF no qual os metroviários iriam receber os mesmos benefícios que as empresas públicas do governo. Mas, segundo eles, os funcionários da Companhia Energética de Brasília (CEB) e da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) receberam um abono especial e uma parcela a mais no auxílio-alimentação, enquanto os metroviários não receberam nada.
















http://www.correiobraziliense.com.br...da-feira.shtml

pesquisadorbrazil Dec 8, 2011 3:55 PM

Quote:

Originally Posted by salengasss (Post 5507707)
O Metrô e o Detran vão entrar de greve. Eu aguento isso????

Mizifi vc não anda de metrô, tem carro uai.... :notacrook:

pesquisadorbrazil Dec 8, 2011 4:12 PM

Trem pequi

No encontro, Juquinha voltou com uma conversa para a qual os goianos têm de ficar muito atentos, o tal trem pequi entre Goiânia e Brasília. Esse projeto tem sete anos, apresentado numa conversa entre Marconi Perillo e Joaquim Roriz, na época governador do DF. Na ocasião, Juquinha disse que a proposta estava em estudo. No último encontro com Marconi, Juquinha voltou a repetir que estavam sendo feitos estudos para a construção do ramal e que o projeto ficaria pronto em três meses. E deu até o custo estimado: cerca de R$ 1 bilhão.

Juquinha dissera acreditar em inauguração da obra entre a capital federal e Goiânia até 2014. Quando perguntado sobre as fontes de recursos para a obra, ele saiu com “quem faz os recursos é a força do trabalho”. Otimismo demais, porque dinheiro não nasce em árvore.

Voltando à ferrovia, e mais uma vez resgatando o linguajar popular, dessa vez o goiano, seria o caso de dizer: Ô, trem enrolado esse da Ferrovia Norte-Sul.

Cronograma vem sendo cumprido, diz Valec

A assessoria de comunicação da Valec em Brasília repassou ao Jornal Opção algumas informações pertinentes à obra da Norte-Sul em Goiás. A íntegra dessas informações:

Quantos quilômetros de ferrovia são previstos para Goiás?
Somados os 498 km da FNS no trecho do projeto original que chega até Anápolis, vindo do Tocantins, e os 494 km da Extensão Sul entre Ouro Verde e São Simão, já na divisa com Minas Gerais, a Norte-Sul no estado de Goiás Terá uma extensão total de 992 quilômetros.

Quais os trechos no projeto inicial?
O trecho do projeto inicial da FNS é o que vai de Açailândia (MA) até Anápolis (GO), num total de 1.574 quilômetros. Da divisa dos estados de Goiás e Tocantins, em Porangatu, até Anápolis, como já citado acima, são 498 km.

Qual (ou quais) trecho foi acrescido ao projeto original?
O trecho acrescido ao projeto original é o da Extensão Sul e mais o prolongamento Norte (Açailândia-Belém) e o prolongamento Sul Estrela do Oeste (SP) – Panorama – Porto de Rio grande (RS).

Quantos km foram acrescentados ao projeto original?
O traçado inicial da Ferrovia Norte-Sul previa a construção de 1574 quilômetros de trilhos, cortando os estados do Maranhão, Tocantins e Goiás. Com a Lei nº 11.297, de 09 de maio de 2006, que incorporou o trecho Açailândia-Belém ao traçado inicialmente projetado, e com a Lei № 11.772, de 17 de setembro de 2008, que estendeu o traçado até a cidade paulista de Panorama, a Ferrovia Norte-Sul, de Belém (PA) a Panorama (SP), terá, quando concluída, 2.760 quilômetros de extensão. Mais recentemente, a Valec foi autorizada e realizar os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental para o prolongamento do projeto em mais 1.620 km, ligando Panorama até o Porto de Rio Grande (RS). Qual seja, a Norte-Sul irá cortar então, literalmente o Brasil de Norte a Sul, interligando-se, em todas as regiões, à malha ferroviária já existente, assim como aos demais modais de transporte. Isso, sem contar com os ramais de Itumbiara e Brasília-Anápolis – Brasília, e o ramal que interligará a Norte-Sul à Transnordestina entre Porto Franco (MA) a Elizeu Martins (PI).

Quantos km já foram construídos?
Do projeto original, 720 km da Ferrovia Norte-Sul já estão construídos no trecho Açailândia (MA) – Palmas (TO). De Palmas até Anápolis são mais 855 km que estão em fase final de construção.

Quanto de recurso era previsto originalmente?
Cerca de R$ 4,5 bilhões.

Quanto de recurso foi acrescentado com os trechos a mais além do projeto original?
Para o trecho da Extensão Sul serão gastos mais R$ 2,7 bilhões.

Quanto de recurso já foi investido de fato?
Cerca de R$ 4,5 bilhões entre e o projeto original e Extensão Sul.

Quais trechos estão em obras em Goiás?
Pode-se dizer que os quase 1.000 km que a Norte-Sul terá no Estado de Goiás, estão em obras. No trecho norte, que vai da divisa com o Tocantins até Anápolis, as obras já estão em sua fase de finalização, com vários trechos totalmente concluídos. A previsão é que todo esse trecho esteja concluído até meados de 2012.

Quais trechos estão parados?
Tanto no trecho norte como no trecho da Extensão Sul as obras estão seguindo o seu ritmo normal, cada um com as características próprias da fase em que estão os trabalhos.

Por que estão parados?
Como relatado acima, tudo está em andamento.

Inicialmente prevista para ser concluída em 2010, ficou depois para 2011 e nos últimos dias, houve nova previsão de conclusão, para 2012. O ritmo das obras está dentro do cronograma?
Sim. Fora feito mais recentemente uma redefinição do cronograma das obras, o que vem sendo agora rigorosamente cumprido.

Após a conclusão, a operação da Ferrovia será privada?
Isso ainda está em estudo por parte da ANTT [Agência Nacional de Transportes Terrestres] e do Ministério dos Transportes.

Obra serviu para projeto político pessoal

José Francisco das Neves, o Juquinha, sempre se valeu de seu importante cargo como presidente da Valec, à frente de uma obra tão importante como a Ferrovia Norte-Sul, para se cacifar politicamente com vistas a se candidatar a algum cargo eleitoral. Foi assim no To­cantins, onde ele quis sair candidato ao Senado em 2009, projeto que não vingou.

“Eu sonhei disputar o Senado pelo Tocantins, mas fui recomendado a continuar na Valec, não porque sou imprescindível, mas porque iam parar as obras da Norte-Sul. Não é fácil comandar uma obra como essa. E sem nenhuma denúncia. É um negócio muito complexo de traduzir em realidade. Fiquei imprescindível e dancei. E tinha chance de ser eleito. Tinha apoio de Siqueira Campos [candidato ao governo] e Gaguim [governador e candidato a reeleição]. Minha mãe nasceu em Taguatinga. Queriam me dar esse cargo como prêmio por essa obra tão importante para o Tocantins. Eu viabilizei investimentos para o Tocantins, se eu não estivesse lá essas coisas teriam paralisado. Para mim não foi uma decisão boa”, disse o então presidente da Valec, em março, dois meses antes de ser defenestrado da empresa sob denúncias de irregularidades.

Depois disso, ele voltou a atenção para Goiás, sua terra de origem, onde tem vários negócios e se criou politicamente — foi deputado federal. Antes, meio reticente, em março, Juquinha abriu o jogo. Em entrevistas disse que será candidato em 2014 em Goiás. O cargo, ele ainda não sabe qual.

A vaidade é uma marca de Juquinha. Ele disse que o pessoal (governo ou a cúpula de seu partido, que comandava a área dos transportes no governo federal até a queda do então ministro Alfredo Nascimento) queria colocá-lo para tomar conta das obras olímpicas e da Copa do Mundo, para fazer as obras saírem do papel. “Porque em Brasília as pessoas têm conhecimento que eu consegui tirar a ferrovia do papel e que isso não é para qualquer freguês, né? É muito difícil cumprir uma tarefa dessas, colocar esse monte de quilômetro de ferrovia para ser construída. Aí ficam me indicando: ‘ah, tem que colocar o Juquinha, senão essas obras não saem do papel’. Mas eu resolvi ficar na Valec para realizar pelo menos um dos sonhos dos goianos: ver aquilo que ligava nada a coisa nenhuma ficar finalmente pronto.”

Estranhamente, quando deu essas declarações, em que a vaidade e a autossuficiência dão o tom, as denúncias de irregularidades na gestão de Juquinha já eram constantes. Tanto que no mês seguinte, a imprensa nacional divulgava que laudo do Instituto Nacional de Criminalística, da Polícia Federal, constatou superfaturamento de R$ 71,7 milhões num trecho de 105 quilômetros da Ferrovia Norte-Sul, em território goiano. Os peritos também questionavam a lisura da licitação e suspeitavam de “conluio” das empresas.

A pedido do procurador da República Helio Telho Filho, as notícias davam conta de que a PF ia instaurar inquérito para investigar toda a extensão da ferrovia. Com 1,3 mil quilômetros construídos, a Norte-Sul já consumira mais de R$ 4 bilhões. Se confirmada a projeção dos peritos para todo o trajeto, os desvios chegariam a R$ 1,1 bilhão, complicando de vez a situação do presidente da Valec. Em razão das fraudes, o procurador Helio Telho impetrou ação na Justiça Federal contra Juquinha, referente ao trecho de 105 quilômetros. “A PF constatou superfaturamento e a licitação foi viciada. Agora, vai fazer perícias em outros trechos”, disse o procurador.

Na época, auxiliares de Juquinha disseram que ele temia que as investigações da PF, do MPF e do Tribunal de Contas da União tivessem repercussão em sua campanha política, em 2014. Correm nos bastidores que a pretensão dele é ser senador ou governador de Goiás. Lembre-se que há alguns parágrafos foi anotado que ele disse: “Vou ser candidato em Goiás em 2014. Não sei ainda a quê”.

De campanha política e de metamorfose Juquinha entende. Ele foi eleito deputado federal pelo PMDB goiano em 1995, mas ao longo do mandato filiou-se ao PSDB e ao PL. Hoje, está no PR.

A média de Lula com a ferrovia

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem o mérito de ter dado continuidade às obras da Norte-Sul, imprimindo um ritmo maior do que o que vinha ocorrendo nas gestões de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Lula se beneficiou de outra conjuntura econômica e teve mais dinheiro para isso. Mas o tom politiqueiro sempre foi evidente em relação à ferrovia.

Não por outra razão, seguidamente Lula visitava o Estado para inaugurar trechos e prometer conclusão definitiva da obra. Uma dessas visitas se deu em novembro do ano passado. Ao lado do então governador Alcides Rodrigues, Lula da Silva disse que a obra seria mesmo inaugurada ainda naquele ano. E até marcava data: 20 de dezembro.

Durante a visita, os dois colocaram um lance de trilho fazendo a ligação na divisa entre os dois Estados, entre os municípios de Talismã (TO) e Poran-gatu (GO). Antes da colocação simbólica do trilho integrando os dois Estados, a comitiva visitou uma fábrica de dormentes — peças de concreto que sustentam os trilhos — e percorreram de locomotiva cerca de 17 quilômetros da ferrovia.

No tom palanqueiro que lhe é peculiar, Lula agradeceu os trabalhadores. “Este é um marco histórico. Para mim, é quase a realização de um sonho a gente ver uma obra da magnitude desta ferrovia prestes a ser concluída, entre Açailândia (MA), até Aná-polis, em Goiás. No dia 20 de dezembro, preparem uma grande festa para a inauguração.” Pois é, 20 de dezembro de 2010...

Opiniões sobre a Ferrovia Norte-Sul

Que a Ferrovia Norte-Sul é uma obra de fundamental importância para Goiás e o Centro-Oeste, e por extensão para o Brasil, não se discute. Só alguns setores sulistas, especialmente de São Paulo, talvez ainda insistam na velha tese de que a ferrovia liga o nada a lugar nenhum, como foi dito por ocasião do anúncio oficial da obra, na década de 1980. Fazer essa obra foi um dos poucos acertos do então presidente José Sarney.Em que pese os sucessivos adiamentos, a obra deve ser concluída em algum momento. E nesse momento, certamente que Goiás terá muito a ganhar. Mas também há dúvidas, como se pode ver na opinião de quem conhece o tema por dever do ofício.

André Luiz Rocha, presidente do Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool do Estado de Goiás (Sifaeg)

“A ferrovia é uma grande conquista brasileira, não só goiana. É muito bom o Brasil passar a ter cada vez mais modais ferroviários, hidroviários e dutos. Temos de partir para utilizar ramais mais eficientes, mais rápidos, que gastem menos carbono. Temos de louvar esses projetos.

Me preocupa um pouco a questão da Norte-Sul e dou um exemplo. Numa estrada em que o Estado dá concessão, o cidadão utiliza seu carro ou caminhão, para na cabine e paga o que tem de pagar de pedágio, pronto. Na ferrovia não é assim ainda. No caso da Norte-Sul, uma parte dela já foi feita a concessão. Esse concessionário é que vai determinar as regras, não se tem ainda clareza se aquilo vai ser intensamente utilizada. Nas ferrovias já concedidas, por exemplo, a FCA (Ferrovia Centro-Atlântica) e a ALL (América Latina Logística), o setor (canavieiro) tem tido dificuldade muito grande, principalmente com a FCA, para escoar mercadorias.

E não só no nosso setor. Os carros da Caoa (Hyundai) são desembarcados no porto de Vitória (ES), vêm de caminhão até Anápolis e voltam de caminhão a Vitória. Tem a FCA que liga Anápolis a Vitória de trem e não se vê a utilização dela nesse caso. Isso vale para os carros, para o açúcar e para o etanol. Esse é o problema que colocamos.

Isso ocorre por quê? Seria porque a concessionária utiliza a ferrovia o tempo todo, ou é falta de interesse? E quando comparamos os preços para utilizar a ferrovia, vemos que são muito próximos dos preços rodoviários. Aí quando somamos com o custo que se tem da usina até Anápolis, chegamos à conclusão de que é melhor não usar a ferrovia.

Quando se coloca que a concessionária da Norte-Sul é a Vale do Rio Doce, a mesma da FCA, eu começo a ficar preocupado com o que vai ocorrer. Será que ela vai utilizar só para transportar minérios e fertilizantes, só o que é dela? Ou vai poder transportar tudo?

E o problema também não é só a ferrovia. A ferrovia está bastante adiantada, dizem que estará pronta até meados do ano que vem, a nova data prevista. Mas como estão os pátios, as estações de transbordo (embarque e desembarque)? Não tenho visto essas obras. Será que vão dar conta de construí-las em seis ou sete meses? Ou será que vamos ter a ferrovia pronta sem as estações?”

Pedro Alves, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg)

"A Ferrovia Norte Sul, quando estiver funcionando, será o divisor de águas para Goiás, para o Centro-Oeste e para o Brasil. Porque, hoje, o Brasil, é um celeiro de produção para o mundo. E, atualmente, as cargas são exportadas via carretas para o Porto de Santos. Isso encarece muito a mercadoria, o que prejudica a nossa competitividade.

Então, em resumo, a ferrovia barateará o custo do frete; resultará em agilidade na entrega e mais que isso, implementará a produção agrícola no Estado. E por outro lado, a ferrovia também possibilitará a vinda de mercadorias também a custo mais competitivo, já que o Brasil importa muitos produtos, como insumos.

Por isso, acho de extrema importância a Ferrovia Norte-Sul."

Délio Moreira de Araújo, especialista em trânsito, doutor em economia de transporte e professor aposentado da Pontifícia Universidade Católica de Goiás-PUC-GO

“A Ferrovia Norte Sul sempre foi considerada uma obra importante para Goiás, isso desde que Goiás e Tocantins eram um só [Estado]. Tem mais de 50 anos e nunca sai. O Brasil é um dos principais países da América do Sul e não tem ferrovia que o ligue de uma ponta a outra. Em Goiânia, quando a estrada de chão foi abandonada, a imprensa criticou duramente. E está certo. O negócio não é investir em rodovias. Rodovias são caras, além de serem onerosas ao próprio governo. O transporte rodoviário é caro demais e o Brasil ainda não se atentou para isso.

Nos EUA e na Inglaterra, as rodovias são particulares. O problema é que, no Brasil, a nossa cultura, a nossa tradição é de rodovias. Mas é uma cultura errada.

Mas temos um problema tremendo no que diz respeito à Norte-Sul. De Anápolis, ela vai passar pelo Rio Paraná, passa por outros Estados e depois segue para o Porto de Santos em São Paulo. Vai fazer uma volta enorme. Os trens da Norte-Sul não irão de Goiás direto ao Porto de Santos, vão fazer um V, e é criticado por ter duas bitolas largas. No Japão, os trens têm bitolas médias, quando não pequenas.

Pequenos agricultores e produtores goianos poderão ser beneficiados?

Eles poderão fazer uso, no entanto, como no Brasil a preferência é para o transporte rodoviário, eles não usarão muito o trem. Por exemplo, para mandar açúcar, soja ou qualquer outro produto produzido em Goiás para fora vai ficar muito mais caro, por causa da volta que o trem vai dar. Por conta disso, muitos não poderão utilizar este transporte.

Veja, de São Paulo a Minas Gerais não tem estrada de ferro direto; o trem tem que fazer um L, com pernas muito compridas.

No Brasil, não demos a devida importância ao transporte ferroviário. Abandonamos muitas linhas e agora fica difícil. Veja o caso dos países da Europa: completamente diferente. Lá o transporte ferroviário está em primeiro lugar.”

Júlio Paschoal, presidente do Conselho Regional de Economia de Goiás (Corecon-GO)

“Do ponto de vista econômico, a Ferrovia Norte-Sul é fantástica. Porque vai criar condições para que produtos goianos tenham custo de logística menor. Vai baratear o transporte de cargas e produtos. E tudo isso em tempo muito menor. Em termos de quilometragem, o tempo de viagem será bastante inferior. Sem contar na integração que haverá entre as regiões Norte e Nordeste de Goiás. Essas regiões vão se integrar de forma a contribuir com o desenvolvimento.

É uma obra muito importante. Sua conclusão mostra o trabalho do governo de Goiás, em favor das micro e macrorregiões. As pequenas, micro e grandes empresas vão todas se beneficiarem nesse contexto logístico.

A SIC [Secretaria de Indústria e Comércio] já deu informações acerca das condições de desenvolvimento que a Ferrovia Norte-Sul criará."

Fonte: Jornal Opção
Fonte: http://www.goianiabr.com.br/2011/12/trem-enrolado.html

pesquisadorbrazil Dec 8, 2011 4:20 PM

Lá vem a novela do Expresso Pequi novamente, será que sai do papel? Aqui em Brasília eu perdi as esperanças, pois justamente aonde seria o terminal do trem, o terreno foi repassado para a Via Engenharia como pagamento para construção do Centro Administrativo em Taguatinga.

Jota Dec 8, 2011 4:50 PM

Quote:

Originally Posted by pesquisadorbrazil (Post 5509186)
Lá vem a novela do Expresso Pequi novamente, será que sai do papel? Aqui em Brasília eu perdi as esperanças, pois justamente aonde seria o terminal do trem, o terreno foi repassado para a Via Engenharia como pagamento para construção do Centro Administrativo em Taguatinga.

Ate onde eu sei o terreno não foi dado a Via, e sim servirá como garantia de pagamento, se o GDF pagar tudo certinho o terreno poderá ser usado. MAs não boto fé neste Expresso Pequi.

pesquisadorbrazil Dec 8, 2011 5:00 PM

Quote:

Originally Posted by Jota Ferro (Post 5509228)
Ate onde eu sei o terreno não foi dado a Via, e sim servirá como garantia de pagamento, se o GDF pagar tudo certinho o terreno poderá ser usado. MAs não boto fé neste Expresso Pequi.

Eu sei disso, mas se a VIA quiser construir no lugar, ela pode, que nem o JC Gontijo, que vai começar as obras no terreno que recebeu atrás da nova rodoviária. Inclusive já recebeu a primeira licença ambiental.

E pelo que escutei, serão 14 prédios de 6 pavimentos, sendo 2 de garagens e 4 pavimentos tipo. Ou serão salas comerciais ou aparts da HPLUS como sempre.

Apartamentos residenciais com serviços disfarçados de apartamentos hoteleiros. E pior, pelo que me falaram, serão 2 mil unidades.

luizwagner Dec 8, 2011 5:45 PM

Quote:

Originally Posted by pesquisadorbrazil (Post 5509250)
Eu sei disso, mas se a VIA quiser construir no lugar, ela pode, que nem o JC Gontijo, que vai começar as obras no terreno que recebeu atrás da nova rodoviária. Inclusive já recebeu a primeira licença ambiental.

E pelo que escutei, serão 14 prédios de 6 pavimentos, sendo 2 de garagens e 4 pavimentos tipo. Ou serão salas comerciais ou aparts da HPLUS como sempre.

Apartamentos residenciais com serviços disfarçados de apartamentos hoteleiros. E pior, pelo que me falaram, serão 2 mil unidades.

Teoricamente não poderia, pois não ocorreu ainda a cessão de terreno.. Este terreno foi utilizado como garantia de cumprimento do contrato, como se fosse uma hipoteca, caso o mesmo não seja cumprido, ocorre a cessão do terreno por quebra de contrato e ai sim a empresa pode construir algo no local..

O caso da JC Gontijo foi uma PPP onde ocorreu a cessão do terreno em troca da construção da rodoviária.. Se, no caso da rodoviária, o governo pagasse pela sua construção/operação e utilizasse o terreno como garantia deste pagamento, a JC não poderia construir nada no local até ocorrer uma quebra no contrato..

Inclusive nos casos de usar terreno como garantia, qualquer mudança que o governo quiser fazer no terreno, como por exemplo, construir a estação do expresso pequi, tem que negociar no contrato a troca da garantia..

Ou seja, o terreno ao lado do Park Shopping vai ficar vazio até que se encerre o contrato do Centro Administrativo ou, caso o governo não cumpra suas obrigações (seja por falta de pagamento ou quebra de contrato), será utilizado como pagamento do contrato..

Jota Dec 8, 2011 6:27 PM

:previous: Perfeito, como dito o terreno não pertence a Via, portanto ela não pode construir lá, infelizmente tbm ninguém mais poderá, pois o terreno deverá ficar em garantia ate que vença o contrato do GDF com a Via.

Já no caso do terreno da Gontijo, este já é da empresa e pode ser usado.


All times are GMT. The time now is 6:03 AM.

Powered by vBulletin® Version 3.8.7
Copyright ©2000 - 2020, vBulletin Solutions, Inc.